Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 

Ruhe
Das höchste Glück auf Erden
Kommt sehr oft nur durch Einsamkeit in das Herz
 

 

Português/Portuguese
Numa sexta-feira, outrora movimentada de carros, luzes vermelhas, verdes e amarelas, entrecortadas pela chuva, de correrias, de vozes no metro e de telefonemas a alto e bom som pela avenida, tudo em busca do início de uma happy hour pela baixa, fugíamos todos a momentos de silêncio (Ruhe) em busca de experiências que borbulhavam som.
Hoje, num dia frio de Fevereiro, buscamos um silêncio recortado de melodias que não sejam eufóricas, mas que não sejam demasiado introspectivas para este nosso confinamento. Como resolver esta dualidade? 
Não será a lermos Johann Christoph Friedrich von Schiller, que o iremos conseguir. Mas a ouvirmos a banda electrónica que partilha o seu sobrenome. Com uma carreira que iniciou no final do milénio, e com mais de 7 milhões de álbuns vendidos (bilingues), duetos com Sarah Brightman, Nadia Ali, Kim Sanders, Mike Oldfield, entre outros, temos uma fusão de classicismo e sons electrónicos e tecnologias, numa amálgama de emoções sonoras.
Symphonia é isso mesmo, pois nunca nos faz resvalar em emoções interiores demasiado pessimistas e, simultaneamente, não cria a euforia necessária que nos faria querer abrir a porta de casa, apesar de oferecer crescendos emotivos, em pouco mais de uma hora (Ah, e não saber Alemão não implica em nada não querer desbravar caminhos por estes sons sentados no sofá)
Freitag ... uma garrafa de vinho tinto, as portadas abertas para ver a chuva a bater nas janelas, Symphonia de fundo e ____________ (preencher com o que mais te faz falta numa noite relaxante). 

Inglês/English
On a Friday, once bustling with cars, red, green and yellow lights, interrupted by rain, rushing, voices in the metro and loud calls on the avenue, all in search of the beginning of a happy hour downtown , we all ran away from moments of silence (Ruhe) in search of experiences that bubbled sound.
Today, on a cold February evening, we seek a silence cut out of melodies that are not euphoric, but that are not too introspective for our confinement. How to resolve this duality?
Reading Johann Christoph Friedrich von Schiller, will not be the answer. But listening to the electronic band that shares his surname. With a career that started at the end of the millennium, and with more than 7 million (bilingual) albums sold, duets with Sarah Brightman, Nadia Ali, Kim Sanders, Mike Oldfield, among others, we have a fusion of classicism and electronic sounds and technologies, in an amalgamation of sonorous emotions.
Symphonia is just that, because it never makes us slip into overly pessimistic inner emotions and, at the same time, it does not create the necessary euphoria that would make us want to open the door of our home, despite offering emotional growth, in just over an hour (Ah, and not knowing German does not imply that you do not want to open paths through these sounds sitting on the sofa).
Freitag ... a bottle of red wine, the shutters wide open to see the rain hitting the windows, Symphonia in the background and ____________ (fill in with what you miss most on a relaxing night).

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 19:35

Schillout breaths electro with September!

by perplex3r, em 25.08.09

 

English

   
Português

Two countries breathe music! Germany and Sweden are together in one of the most stimulating melodies soon to be released. Schiller and Petra Marklund, known as September joined forces for Breathe, included in the 2008 platinum album Sensucht (released in English as Desire) in an ambient chillout version, and it also includes other collaborations with Colbie Caillet, Kim Sanders, Lang Lang, among others.
After one of the best performances in the Polish Sopot Festival, Dave Ramone remixed the track with strong and exciting electro house beats that heighten Petra’s fantastic voice and the lyrics of the track. Sometimes we cannot breathe and it isn’t for the fact we are in love, but for the fact that we don’t know what to do; therefore the chorus says “I can’t breathe my love/ I’m swimming in the dark beside you”.
In this way, if one day we aren’t able to breathe, may it be only for the fact that we are watching Schiller live in a concert, who has already got a Opus Award for Best Sound Design of a Live Show, and not for the fact that we are lost with impossible love. In other words, Breathe won’t have a Bitter End, but a sweet beginning!
 

 

 

 

Dois países respiram música! Alemanha e Suécia juntos numa das melodias mais estimulantes a serem editadas em breve. Schiller Petra Marklund, mais conhecida como September uniram-se para Breathe, incluído no álbum platinado de 2008 Sehnsucht (editado em inglês como Desire) em versão ambient chillout, que contém também colaborações com Colbie Caillet, Kim Sanders, Lang Lang, entre outros.
Após uma das melhores performances no festival polaco Sopot Festival, Dave Ramone remisturou a faixa com batidas electro house fortes e estimulantes, o que fazem ressaltar a fantástica voz de Petra e a letra da própria canção. Por vezes perdemos a respiração junto de quem gostamos, e não é pelo facto de estarmos apaixonados, mas sim por não sabermos o que fazer, daí que o refrão seja “I can’t breath my love/ I’m swimming in the dark beside you”.
Desta forma, se um dia estivermos sem conseguir respirar, que seja apenas pelo facto de estarmos a ver Schiller ao vivo num concerto, uma vez que já recebeu um Opus Award para Best Sound Design of a Live Show, e não porque estamos perdidos em amores impossíveis. Por outras palavras, Breathe não terá um fim amargo (Bitter End) mas um começo bem doce!

 

Tracklist:
1.
Breath Dave Ramone Radio Edit (3:28)
2. Breath Original Mix/Album Version (4:12)
 

 

 

*Nota: Estas são as duas versões disponíveis, as novas remisturas de David Ramone não têm ainda data de edição.
*Note: These are the two availbale versions; the new remixes by David Ramone don't have a date of release yet.

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 14:31

  

English

   
Português

Wilkommen in der Welt von Danny!
(Welcome to Danny's World)
Weltreise means a travel around the world and like Schiller, the German group of electronic music, in an album with the same name, Danny Ocean presents a great musical variety inside this genre. If the chillout is only present in Dschungel (Jungle), in which it seems that we are surrounded by trees in adventures like Hercules, the electro is the lion’s share and in English (for those who think that hear German is already too much!).
We set off with Arabien (Arabia), which introduces us the evolving path we are going to tread. Winternacht (Winter night) makes us feel the cold wind with the sound of piano provoking some strange sensations, as well as Brise (Breeze) and Wasser (Water), which contain several samples, involving bass and a soft beat. One should also point out the fantastic Umkehr (Reversion), which recalls us Herbert's remix for Hoping and fits well in a set in any alternative club, and M.E.M. with those great deep tones for 4 a.m. when there is a lot of black vodka in the stomach.
To sum up, if Genug means sufficiently and in this album the track tells us this should be played in high volume! it is what we are obliged to do in this travel around the electronic German World.

 

Wilkommen in der Welt von Danny!
(Bem-vindos ao Mundo de Danny)
Weltreise significa uma viagem à volta do mundo e tal como Schiller, o grupo de música electrónica alemão, num álbum com o mesmo nome, Danny Ocean apresenta uma grande variedade musical dentro do género. Se o chillout está apenas em Dschungel (Selva), em que parece que estamos rodeados de árvores em aventuras como Hércules, o electro está em grande e em inglês (para aqueles que acham que ouvir alemão já é demais!).
Partimos nesta descoberta com Arabien (Arábia), que nos introduz o percurso envolvente que vamos trilhar. Winternacht (Noite de Inverno) faz-nos sentir o vento frio ao som de piano provocando algumas sensações estranhas, tal como Brise (Brisa) e Wasser (Água), que contêm vários samples, uma bass envolvente e batida leve. Salienta-se também o fantástico Umkehr (Reversão), que nos relembra a remistura de Herbert para Hoping e que ficará bem num set em qualquer club alternativo, e ainda  M.E.M. com aqueles martelinhos óptimos para quando são 4 da manhã e há muita vodka preta no estômago.
Em suma, se Genug significa suficiente e neste álbum a faixa diz-nos que this should be played in high volume! é isso que somos obrigados a fazer nesta viagem à volta do Mundo electrónico alemão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 20:12

There's something about you Kim ...

by perplex3r, em 09.07.08

 

 

 

 

(Português/Portuguese)
Kim Sanders é o nome de umas das vocalistas da excelente banda alemã Schiller, porém não é uma novata nas andanças musicais, uma vez que fez parte do período eurodance com temas a solo (Show Me, Tell Me That You Want Me)  e juntamente com Culture Beat (Pay No Mind) e Captain Hollywood Project (Impossible).
Contudo, a sua carreira seguiu outra direcção, uma vez que já lançou o fabuloso Jealousy Food For Thought em vertente mais jazz/electronica remisturado por Rainer Trüby Trio e em 2003 concretizou o que muitos já esperavam, o  lançamento do seu álbum a solo. Pretty On Edge é um conjunto de 13 canções pop que não pretendem ser mais que isso, mas que alcançam com uma melodia simples e alegre aquilo que produções rebuscadas não conseguem. Assim, nem tudo o que é simples é mau, muito pelo contrário, uma vez que estamos perante letras com significado que vai para além do "Eu Amo-te" ou do "Sinto a Tua Falta", e a prova disso está em Something About You, Tricky e Still You.
Em suma, esta cantora afro-americana a viver na Alemanha, é capaz de ter aquele álbum que todos vão querer ouvir enquanto sentem o calor do sol naquela praia repleta de gente!

(English/Inglês)

Kim Sanders is one of the vocalists of the amazing German band Schiller, although she is not new in the music business as she belongs to the eurodance period with solo singles (Show Me, Tell Me That You Want Me)  e other with Culture Beat (Pay No Mind) and with Captain Hollywood Project (Impossible).
However, her music career followed a different direction, as she has already released the fabulous Jealousy and jazz/electronica single Food For Thought remixed by Rainer Trüby Trio and in 2003 she released her solo album. Pretty On Edge is a collection of 13 pop songs that do not pretend to be more than that, but with simple and happy melodies they reach what some overproductions don’t. Therefore, not all simple things are bad, as we are in front of songs that mean more than just “I Love You” or “I Miss You”, and the songs Something About, Tricky and Still You prove that.
To sum up, this Afro-American singer living in Germany is perhaps the one who released the perfect album to listen on that hot crowded beach!



Kim Sanders - Something About You
Colocado por Kim-Sanders

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 14:01

This is the world of Schiller! Welcome!

by perplex3r, em 24.05.08

Schiller Feat. Kim Sanders - Let Me Love You (2008)

(Português/Portuguese)

Schiller não é só o nome de um dos maiores escritores alemães, mas também o nome de uma das melhores exportações musicais oriundas do país da Volkswagen. Iniciaram a sua carreira com singles que atingiram o topo da tabela de vendas um pouco por toda a Europa, como Das Glockenspiel, Dancing In My Loneliness, Liebe, embora alguns deles em alemão. Contudo, a edição dos álbuns faz-se de forma bilingue, existindo normalmente duas edições, uma em inglês e outra em alemão.
Inicialmente como duo, Christoffer von Deylen e Mirko von Schlieffen editaram um dos melhores temas electrónicos de sempre, nomeadamente o single Ruhe (Paz), um pouco de mistura de elementos calmos com uma beat forte, aproximando-se um pouco do techno. Contudo, depois de algumas divergências, Schlieffen retirou-se, mas o conceito da banda continuou tendo sido editado o último álbum Sensucht no mês passado, que conta com a colaboração de Kim Sanders (para o single Let Me Love You), Despina Vandi, Xavier Naidoo, entre outros, e já atingiu o nº1 no Álbum Chart alemão.
Wilkommen In Der Welt von Schiller (Benvindo ao Mundo de Schiller), um mundo chillout electronicamente perfeito, introspectivo e mágico…entrem!
 
 
(English/Inglês)
Schiller is not only the name of one of the most important German writers but also the name of one of the best musical exports from the land of Wolkswagen. They had begun their career with singles that got into the top of the sales charts around Europe, like Das Glockenspiel, Dancing In My Loneliness, Liebe, although some of them were sung in German. However, the release of the albums is comprised of two different language editions, one in German and other in English.
In the beginning the band was a duo formed by Christoffer von Deylen and Mirko von Schlieffen and they released one of the best electronic singles ever, namely Ruhe (Peace), a mixture of calm elements with a strong beat remind of techno. However, after some disagreements, Schlieffen left the band, but the concept of the band went on and the last album Sensucht released last month includes collaborations with Kim Sanders (for the single Let Me Love You), Despina Vandi, Xavier Naidoo, among others, and got into the nº1 position in the German Album Chart.
Wilkommen in Der Welt von Schiller (Welcome in the World Of Schiller), an electronic and perfect chillout world, introspective and magic…come on in!
Schiller - Ruhe (1999)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 19:09

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


text me

back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!




Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17

 

 




Tradutor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.