Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



(Português/Portuguese)

Acabámos o domingo rendidos a hábitos que nos afastam de passeios a dois, de pequenas conversas abertas e sentimentais, de corridas por entre as árvores, de fotografias desfocadas mas cheias de emoção à beira mar. Enfim, brincadeiras adultas a que dois corpos se resignam a viver apenas na sua memória. Talvez por isso, a cada segundo nos afastamos do nós. Afinal, se grandes impérios já caíram por imperadores que davam tudo como garantido, porque é que o nosso pequeno castelo também não pode ser derrubado?

Mas .... nem tudo está perdido! À segunda tentativa temos tudo para dar certo se realmente formos capazes de ver profundamente o que está ao nosso lado, seja que tipo de relação for, mas não  a termos como garantida. Será essa a magia que Sage (Ambroise Willaume) consegue trazer numa das mais bonitas bandas sonoras francesas dos nossos anos 20, do filme Mon Inconnue (2019) de Hugo Gélin, com aquele casalinho apaixonado protagonizado por François Civil e Joséphine Japy.

Começamos esta viagem com dois temas vocalizados, tal como iniciamos cada uma das nossas relações, porque já temos conhecimento do mundo, mas depois percorremos caminhos que só nós próprios podemos trilhar, descobrir; histórias que só nós podemos escrever, colocar cada palavra, uma a seguir à outra até termos frases claras ou inacabadas. É assim, que continuamos com melodias em  piano, num total de 12 faixas que nos vão querer dar aquela segunda oportunidade .... Afinal, só podemos aprender com os nossos erros, não é verdade?

O filme, esse, vale bem a pena .... mas é já um capítulo escrito que não é nosso. Aqui, roubamos a banda sonora e, depois de gravarmos a nossa segunda paixão, temos todo o tempo do mundo para a comparar com histórias em que Paris é tão romântico como aquela pequena rua que conduz à beira-rio numa qualquer cidade do norte de Portugal numa primavera.

(English/Inglês)

We ended Sunday surrendered to habits that take us away from walks together, short open and sentimental conversations, running under the trees, unfocused photographs, but full of emotions by the sea. Finally, adult games to which two bodies are resigned to living only in their memory. Perhaps that is why, every second we move away from the word us. After all, if great empires have already fallen by emperors who took everything for granted, why can't our little castle be overthrown as well?

But not everything is lost! On the second, try we have everything to work out if we are really able to see deeply who is on our side, whatever type of relationship it is, but we do not take it for granted. That will be the magic that Sage (Ambroise Willaume) manages to bring in one of the most beautiful French soundtracks of our 1920s, from the movie Mon Inconnue (2019) by Hugo Gélin, with that passionate couple starring François Civil and Joséphine Japy.

We start this trip with two vocalized tracks, just like we start each of our relationships, because we already have knowledge of the world, but then we go on paths that only we can walk, discover; stories that only we can write, put each word, one after the other until we have clear or unfinished sentences. It is like this, that we continue with melodies on piano, in a total of 12 tracks that will want to give us that second chance .... After all, we can only learn from our mistakes, right?

The film, that one, is well worth watching .... but it is already a written chapter that is not ours. Here, we steal the soundtrack and, after recording our second passion, we have all the time in the world to compare it with stories in which Paris is as romantic as that small street that leads to the riverside in any city in the north of Portugal in Spring.

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 17:31

Heap & Tiësto...In Search for a Sunrise!

by perplex3r, em 11.02.08

Imogen Heap - Hide & Seek (Live/Ao Vivo)

(Portuguese/Português)
Numa altura em que as ondas hip hop estavam a bater cada vez mais na areia e a música electrónica a ser relevada para segundo plano surge a partir de Londres uma personagem descontraída, bem construída, com estilo único chamada Imogen Heap.
Estávamos em 1998 quando o seu primeiro álbum i Megaphone (um anagrama para o seu próprio nome) saiu e agradou a toda a crítica, recebendo comentários positivos quer na Europa, quer no outro lado do Atlântico, seguido do álbum Speak For Yourself. Este último chegou mesmo a atingir o topo no Top Heatseekers e o nº2 no Top Electronic Albums em 2005. Porém, a consagração do seu segundo álbum deve-se ao facto de, entre 2002 e 2003, Imogen ter-se aliado a Guy Sigsworth, que já havia produzido e escrito temas para Björk, Seal, Madonna e Lamb, formando o aclamado duo electrónico Frou Frou. Esta formação apenas lançou um álbum electronicamente perfeito, mas viram duas das suas canções em filmes como Garden State, com Natalie Portman, The Holiday e Shrek 2, para além de editarem 3 singles (Breath In,Let Go e It’s Good To Be In Love). O álbum Details incorporou elementos trip hop, electrónica, pop e rock, para além e incluírem instrumentos como violoncelo e guitarras. E é nesta linha que esta artista segue na sua carreira a solo: álbums construídos à volta da música electrónica, com influências acústicas, electrónicas e chillout.
Com um percurso musical invejável, Imogen Heap foi nomeada em 2006 para dois Grammys: Best New Artist e para Best Song Written for Motion Picture, mais propriamente com Can’t Take It In, incluídas na série O.C. e no filme As Crónicas de Nárnia. Para além disso, continuou a escrever e a produzir outros grupos e cantores enquanto continua a sua carreira a solo.
É com grande prazer que se anuncia a edição em Maio do seu terceiro álbum, e nota-se cada vez mais em alta rotação pelos amantes da música electrónica e de dança, uma vez que DJ Tiësto remisturou o tema Hide & Seek, retirado do álbum Speak for Yourself, que agora está a agitar qualquer perninha que não se queira mexer. É de notar que, embora a vertente deste seja mais trance, Tiësto fez uma excelente remistura, uma vez que deixou permanecer o espírito e a melodia original com vocoders, adicionando-lhe apenas batidas mais house progressivas tornando o título da remistura perfeito: Tiësto In Search Of A Sunrise. Há ainda outra remistura perfeita para aquele pôr-do-sol o Morgan Page Bootleg Remix.
 
 

 

(English/Inglês)

In a time when the hip hop waves were arriving on the beach and electronic music was losing the pole position, Imogen Heap appears from London, a character with a great peculiar and original style.
When her i Megaphone came out (an anagram for her name) the critics were pleased with that album both in Europe and on the other side of the Atlantic, followed by her second album Speak For Youself. This album got to the top of Top Heatseekers and the second position on the Top Electronic Albums in 2005. Her consecration arrived after teeming up with Guy Sigsworth between 2002 and 2003 to form the critically acclaimed electronic group Frou Frou. Guy Sigsworth had already written and produced Björk, Seal, Madonna and Lamb. This duo only released one perfect album, but had two songs on films such as Garden State, with Natalie Portman, The Holiday and Shrek 2, and released three singles (Breath In, Let Go and It’s Good To Be In Love). The album Details had fantastic trip hop, electronica, pop & rock influences including cellos and guitars, and that’s what Imogen follows on her solo career, adding to her albums also acoustic influences and chillout moods.
Having a music career to be proud of, Imogen Heap was nominated in 2006 for 2 Grammys: Best New Artist and Best Song Written for a Motion Picture for Can’t Take It In, included on the TV series The O.C. and in the film The Narnia Chronicles. She also continued to write and produce other artists while having her own solo career.
I’m very pleased for the fact that her third album will come out this May, and she is having the attention she deserves either from the electronica fans and house music fans, as DJ Tiësto remixed Hide & Seek, taken from the Speak For Yourself album, and all legs want to dance to it. One should notice that Tiësto did a great remix, as he kept the same original and spiritual melody with the vocoders, adding some progressive house beats, turning the name of the remix a perfect one: Tiësto In Search Of a Sunrise. There is also another remix that one should pay attention to: the Morgan Paige Bootleg Remix for that perfect sunset.

 

Frou Frou - It's Good To Be In Love

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 14:30

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


text me

back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!




Blogs Portugal

Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17

 

 




Tradutor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds