Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



The Cardigans - Long Gone Before Daylight (Original Pictures)

Português/Portuguese

Pelas ruas meia desertas,com algum frio à mistura e uma boa dose de optimismo, caminhamos para casa com The CardigansLong Gone Before Daylight reeditado num saco bem protegido (uma daquelas compras impulsivas que fazem todo o sentido). Não queremos que um dos melhores álbuns de sempre não conheça a alegria de ser tocado pela agulha do gira-discos.

Long Gone Before Daylight (o platinado nº1 na Suécia) chegou aqui a casa cheio de  memórias de histórias terminadas, inacabadas e outras que não passaram apenas de imaginação. Ao olharmos directamente para a capa, sentimos que estamos rodeados de amigos no aconchego de uma noite de conversas filosóficas e de opiniões bem vincadas, no Museu d'Avó, por entre a penumbra das velas, das tapas e copos de vinho tinto que não param de chegar à mesa debaixo de um candelabro.

Communication abre a discussão, logo após o líquido ter deslizado para dentro de um copo, e, em 2021 tal como em 2003, continua a fornecer inúmeras questões sobre o que significa estar em comunicação com outro. Por entre ligações reais e virtuais, em que estamos com a função ocupado ou ausente, ligamos e desligamos as nossas ligações e queremos ter a certeza que não perdemos tempo em época de ligações rápidas. Mas, se pensarmos bem, podemos não ter aprendido a esperar, tal como quando ligávamos o nosso modem de 56Kb, perdíamos a ligação e tentávamos, incessantemente, voltar a comunicar.

O segundo copo de vinho, vem trazer as metáforas bélicas que o Amor é perito em usar. Em You're The Storm somos um país que busca ser conquistado, que procura ser feliz mas cuja a sua história é feita de longas e tortuosas guerras. Apesar disso, acreditamos que é essa história que leva à conquista de fronteiras que se esbatem quando nos apaixonamos, formando um único, não perfeito, mas feliz, território.

Com uma edição dupla em vinil de 180 gramas, abrimos a segunda garrafa para colocarmos o segundo disco após termos observado as fotos do quinteto em grande formato. A seguir a um breve silêncio, For What It's Worth irresistivelmente remete-nos para uma manhã primaveril, sentimos uma esperança sem fundamento, mas que nos faz sorrir.  Terminamos com 03:45 No sleep e na terceira garrafa, sem que a conversa a dois tenha perdido sentido. Parece que, apesar de todas estas distrações, conseguimos comunicar melhor que nunca.

Long Gone Before Daylight vai perdurar, pela noite dentro ... com a mensagem do 4º álbum destes suecos simpáticos, que nos trouxeram, ao longo de vários anos, hits pop em filmes dramáticos, como Lovefool, conduções loucas em My Favourite Game e colaborações únicas como Burning Down the House com Tom Jones, e que já falámos num tempo em que este blog era ainda uma criança (lembras-te?).

Inglês / English

Through the half-deserted streets, with some cold mixed with a good dose of optimism, we walk home with The Cardigans and Long Gone Before Daylight reissued in a well-protected bag (one of those impulsive purchases that make perfect sense). We don't want one of the best albums ever to experience the joy of being touched by the turntable's needle.

Long Gone Before Daylight (the platinum No. 1 in Sweden) arrived here full of memories of finished, unfinished stories and others that were  just imagination. As we look directly at the cover, we feel that we are surrounded by friends in the warmth of a night of philosophical conversations and well-defined opinions, at Museu d'Avó, amidst the dim light of candles, tapas and glasses of red wine that never stop coming to the table under a chandelier.

Communication opens the discussion, right after the liquid has slipped into a glass, and in 2021 as in 2003, it continues to provide numerous questions about what it means to be in communication with another person. Between real and virtual calls, in which we are busy or absent, we connect and disconnect our calls and we want to make sure that we don't waste time in times of fast connections. But, if we think about it, we may not have learned how to wait, such as when we used to connected our 56Kb modem, we lost the connection and tried, incessantly, to communicate again.

The second glass of wine brings the warlike metaphors that Love is used to. In You're The Storm we are a country that seeks to be conquered, that seeks to be happy but whose history is made up of long and tortuous wars. Despite this, we believe that it is this story that leads to the conquest of borders that become blurred when we fall in love, forming a unique, not perfect, but happy, territory.

With a double edition on 180 gram vinyl, we open the second bottle to place the second disc after having seen the pictures of the quintet in large format. Following a brief silence, For What It's Worth irresistibly reminds us of a spring morning, we feel a hopeless hope, but one that makes us smile. We ended with 3:45 am No sleep and the third bottle, without the conversation between the two having lost any meaning. It seems that, despite all these distractions, we can communicate better than ever.

Long Gone Before Daylight will continue, into the night ... with the message of the 4th album of these nice Swedes, who brought us, over several years, pop hits in dramatic films such as Lovefool, crazy driving in My Favorite Game and collaborations as Burning Down the House with Tom Jones, and we talked about in a time when this blog was still a child (remember?).

Dedicado a / Dedicated to: Diana, my friend and reader, ich wünsche dir das Beste!

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 18:46

 

Português/Portuguese
A 13 de maio, em Portugal,enquanto uns ansiavam pelo Festival da Eurovisão,sentiam um nervosismo futebolítico e esperavam pela mensagem do Papa em Fátima,em Madrid, tínhamos mais de 16.000 peregrinos a viajar pelo tempo.
Às 18 horas abriram-se as portas da arena para os deejays Jumper Brothers darem o mote para as mais de 6 horas de festa com Show Me Love (Robin S), Free (Ultra Naté), Beachball (Nalin & Kane) e culminarem na contagem decrescente para o início de Love The 90s com o espanhol OBK. Não podia haver um túnel do tempo tão perfeito como este, em que tivemos a oportunidade de entrar para o Guiness Book Of Records com Saturday Night de Whigfield, numa espaço em que todos dançaram a coreografia típica do Verão de 94. Jenny Berggren, de Ace Of Base, mostrou-nos, com Beautiful Life, que mais de 20 anos depois a vida continua a ser bela e alegre e que todos, finalmente, entenderam a história de All That She Wants e viram The Sign, o que explicou os mais de 23 milhões de discos vendidos do multi-platinado álbum Happy Nation em 93/94 (também ele no Guinness Book Of Records).
Por entre europop e eurodance, quando se ouviu Boom Diggy Diggy Diggy Boom Diggy Bang sentimos que estávamos a ouvir a compilação DanceMania, em que Ice Mc brilhou com o seu típico som italo-disco. A australiana Tina Cousins trouxe memórias com Pray e Mysterious Times, a sua grande colaboração com o alemão Sash!, e a brasileira Corona protagonizou um dos momentos mais engraçados ao admitir falar "portuñol", ao misturar a sua música com Boom Boom Boom dos Outhere Brothers e a ter uma das maiores interacções com o público ao som de The Rhythm Of The Night. Por entre actuações dos grupos convidados, havia tempo para a dupla de deejays, com a ajuda de fogo, lasers, ecrãns coloridos e chuva de confettis, tocarem temas que encheram as pistas de dança durante a década, com músicas de Haddaway (What Is Love), Gala (Let a Boy Cry), Faithless (Insomnia) e Kadoc (The Night Train), irem buscar Nirvana e Bon Jovi à playlist e fazerem uma homenagem sentida a Robert Miles, fazendo com que a festa fosse sempre non-stop! Por fim, as duplas de eurodance/euro rap Snap! muitos pés fizeram saltar com a poderosa voz de Penny Ford em The Power e no clássico Rhythm Is a Dancer, para além da rapper Ya Kid K, a voz original de Technotronic, que colocou a multidão a cantar em uníssono Pump Up The Jam e os holandeses 2 Unlimited que mostraram que a geração dos anos 90 não tem limite para a alegria que sentia enquanto viajava ao som de No Limit e Twilight Zone.
Em suma, se perguntarem se vale a pena esta viagem, concluímos com um grande sorriso que SIM! Esta Máquina do Tempo é capaz de colocar toda uma geração nostálgica sobre uma década ainda próxima, em que com tanta evolução, ainda sabe a ligação entre um lápis e uma cassette, recorda o que era fazer uma mixtape apaixonada e, acima de tudo, sabe que abriu caminho para uma cultura de música pop e de dança que nos dias de hoje se faz sentir por todo o Mundo. Que fazemos agora? Assistimos aos melhores momentos e contamos os dias que faltam para as próximas viagens! Mais videos no Youtube, Sapo Videos e fotos no Facebook e Instagram do blog!

 

English/Inglês
On May 13, in Portugal, while some longed for the Eurovision Song Contest, were feeling nervous about football matches and were waiting for the Pope's message in Fatima,in Madrid, more than 16,000 pilgrims were traveling through time.
At 6pm the doors of the arena opened for the deejays Jumper Brothers to set the tone for more than 6 hours of partying with Show Me Love (Robin S), Free (Ultra Naté), Beachball (Nalin & Kane) culminating with the countdown to the beginning of Love The 90s with the Spanish OBK. There could not be a time tunnel as perfect as this, where we had the opportunity to enter the Guinness Book of Records with Whigfield's Saturday Night, in a place where everyone danced the typical choreography of the summer of '94. Jenny Berggren, Ace Of Base, showed us, with Beautiful Life, that over 20 years later life continues to be beautiful and joyful and that everyone finally understood the story of All That She Wants and saw The Sign, which explained the more 23 million albums sold from the multi-platinum album Happy Nation in 93/94 (also in the Guinness Book Of Records).
Between europop and eurodance, when we heard Diggy Boog Diggy Diggy Boom Diggy Bang we felt we were listening to the compilation DanceMania, in which Ice Mc shone with his typical Italo-disco sound. Australian Tina Cousins ​​brought back memories with Pray and Mysterious Times, her great collaboration with German Sash !, and the Brazilian Corona starred in one of the funniest moments when she admitted to be speaking "portuñol" (mixture of portuguese and spanish), mixing her music with Boom Boom Boom of Outhere Brothers and to have one of the biggest interactions with the audience with the sound of The Rhythm Of The Night. Between the performances of the guest groups, there was time for the duo of deejays, with the help of fire, lasers, colorful screens and rain of confetti, to play  songs that filled the dance floors during the decade with Haddaway (What Is Love ), Gala (Let a Boy Cry), Faithless (Insomnia) and Kadoc (The Night Train), pick up Nirvana and Bon Jovi from the playlist and pay homage to Robert Miles, making it a non-stop party! Finally, the eurodance / euro rap duos Snap! made many feet jump with Penny Ford's powerful voice in The Power and with the classic Rhythm Is a Dancer, in addition to rapper Ya Kid K, Technotronic's original voice that set the crowd singing all in one voice Pump Up The Jam and the Dutch 2 Unlimited who showed that the 90's generation has no limit to the joy they were feeling while traveling listening to No Limit and Twilight Zone.
In short, if you ask if it is worth this trip, we conclude with a big smile that YES! This Time Machine is able to put an entire generation nostalgic about a recent decade, in which with so much evolution, still knows the connection between a pencil and a cassette, remembers what it was to make a mixtape with love and, above all, knows has paved the way for a culture of pop and dance music that is now felt all over the world. What do we do now? We watch the best moments and count the days that are missing for the next trips! More videos on Youtube, Sapo Videos and photos on Facebook and Instagram of the blog!

 

18516051_10206856497769728_394801146_n.jpg

 The 90s Madrid, 2017, The Best Moments (Video)

 

Jumper Brothers - What Is Love (with Playmobil), Haddaway
Ace Of Base - The Sign, All That She Wants, Beautiful Life
Jumper Brothers - Let a Boy Cry, Gala
Whigfield - Think Of You
Ice Mc - Take Away The Colour, Think About The Way
Corona - Baby Baby, The Rhythm Of The Night
Jumper Brothers - The Nighttrain, Kadoc
Technotronic - Pump Up The Jam, This Beat Is Technotronic
Jumper Brothers - Be My Lover, La Bouche
Snap! - The Power, Rhythm Is a Dancer
Jumper Brothers - Homage To /Homenagem a Robert Miles (Children)
Tina Cousins - Mysterious Times
Jumper Brothers - Ecuador, Sash!; Insomnia, Faithless; Short D**k Men, 20 Fingers; Dreams, 2 Brothers on the 4th Floor
2 Unlimited - Twilight Zone, No Limit

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 13:41

A Great & Optimus Concert, Roberta!

by perplex3r, em 06.04.08
(Português/Portuguese)
Sem expectativas, sem ideias pré-concebidas e com curiosidade que fui ao Cinema Batalha (Porto) assistir a um concerto@optimus, nomeadamente o de Roberta Sá, desconhecido para muitos (eu inclusive), até porque o PMB por vezes deixa muito a desejar. Surpreendentemente, pode-se afirmar Que Belo Estranho Dia Para Se Ter Alegria, pois Roberta é das melhores revelações brasileiras dos últimos tempos, uma vez que aquelas cantorias muitas vezes irritantes aqui não existem, e o que se vê e o que se ouve é uma voz bonita, encantadora que, embora não comunique muito com o público, o consegue transformar e fazer sentir as canções bem conseguidas, com arranjos de mais variadas influências e cheias de pormenores interessantes. Estivemos assim perante um palco que encheu os olhos a quem decidiu aparecer, e, embora a música estivesse num bom nível e a beleza de Roberta fosse cativante jeito de menina sorridente, no que diz respeito ao público, esse não se mostrava muito animado (se calhar, ver um concerto sentado não ajuda!).
Apresentando temas dos seus dois álbuns (Braseiro e Que Belo Estranho Dia Para Se Ter Alegria), o Cinema Batalha encheu-se de sorrisos, de aplausos, de movimentos lentos mas que acompanhavam perfeitamente cada batida, cada som que saía do cavaquinho, cada palavra feliz e triste que formava a letra das canções e, acima de tudo, que combinavam na melhor forma com o vestido cheio de pássaros e flores que abanava no palco sempre que seguia os movimentos dos braços de Roberta. Assim, destacaram-se Fogo e Gasolina, um jogo de antónimos sobre uma paixão ardente, Belo Estranho Dia de Manhã, onde um mundo caótico é perfeito para dois amantes estarem juntos (e de onde saiu o título do álbum), Laranjeira e Samba de Amor e Ódio que pediram para dançar como Suba no tema Samba de Gringo Paulista.
Consequentemente, nem mesmo com uns pequenos problemas técnicos que surgiram já no final foi possível não ouvir e observar atentamente a menina que perfeitamente podia ter saído do Sítio do Pica-Pau Amarelo e que, sem sombra de dúvida, marcou da melhor forma o início do mês das águas mil.
Conselho da Semana: Se ganhares bilhetes e não sabes se deves ir, vai! Ainda te surpreendes!
PS: Não usar fotos sem permissão (enviar e-mail)
(English/Inglês)
Without expectations, pre conceived ideas and with curiosity I went to Cinema Batalha (Porto) to a concertos@optimus namely to the Roberta Sá’s concert, unknown for some (me included), as MPB (Brazilian Popular Music) sometimes leaves much to be desired. Surprisingly, one can confirm Que Belo Estranho Dia Para Se Ter Alegria  (What a Beautiful & Strange Day To Be Happy), as Roberta is one of the best newcomers from Brazil, as those irritating sing-a-longs weren’t present, but what the audience sees and listens to is a beautiful and enchanting voice that can transform us and make us feel the well accomplished songs, with various influences and full of interesting details, although she does not communicate a lot with the spectators. Therefore one was in front a stage that stroke with wonder those who decided to show up, but even the high level of the songs and the sweet girly looks of Roberta did not  cheer up the audience (perhaps sitting in a concert did not help).
Presenting songs from her two albums (Braseiro (Fire-Pan) and Que Belo Estranho Dia Para Se Ter Alegria (What a Beautiful & Strange Day to Be Happy)), the Cinema Batalha was filled with smiles, applauses, slow movements that followed perfectly each beat, each sound that came from the little guitar, each sad and happy word that composed the lyrics and, above all, that matched with the dress full of birds and flowers that chased Roberta’s arms. For those reasons one can highlight Fogo e Gasolina (Fire & Gasoline), a play with antonyms about a hot passion, Belo Estranho Dia de Manhã (Beautiful & Strange Morning), where a chaotic world is perfect for two lovers to be together (where the album title comes from), Laranjeira (Orange-Tree) and Samba de Amor e Ódio (Samba of Love & Hate) that asked to dance like Suba did with Samba de Gringo Paulista.
Consequently, even with some technical problems that came up at the end one could not stop but continue to listen and observe attentively the girl that could have come out of the farm Sítio do Pica-Pau Amarelo (Brazilian soap) and had a remarkable concert in the month of the pouring-rains.
Advice: If you earn a ticket and you don’t know if you should go or not, go! You may have a few surprises!
PS: Do not use images without permission (send an e-mail)

Samba de Amor e Ódio

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 23:02

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


text me

back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!




Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17

 

 




Tradutor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.