Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



The Cardigans - Long Gone Before Daylight (Original Pictures)

Português/Portuguese

Pelas ruas meia desertas,com algum frio à mistura e uma boa dose de optimismo, caminhamos para casa com The CardigansLong Gone Before Daylight reeditado num saco bem protegido (uma daquelas compras impulsivas que fazem todo o sentido). Não queremos que um dos melhores álbuns de sempre não conheça a alegria de ser tocado pela agulha do gira-discos.

Long Gone Before Daylight (o platinado nº1 na Suécia) chegou aqui a casa cheio de  memórias de histórias terminadas, inacabadas e outras que não passaram apenas de imaginação. Ao olharmos directamente para a capa, sentimos que estamos rodeados de amigos no aconchego de uma noite de conversas filosóficas e de opiniões bem vincadas, no Museu d'Avó, por entre a penumbra das velas, das tapas e copos de vinho tinto que não param de chegar à mesa debaixo de um candelabro.

Communication abre a discussão, logo após o líquido ter deslizado para dentro de um copo, e, em 2021 tal como em 2003, continua a fornecer inúmeras questões sobre o que significa estar em comunicação com outro. Por entre ligações reais e virtuais, em que estamos com a função ocupado ou ausente, ligamos e desligamos as nossas ligações e queremos ter a certeza que não perdemos tempo em época de ligações rápidas. Mas, se pensarmos bem, podemos não ter aprendido a esperar, tal como quando ligávamos o nosso modem de 56Kb, perdíamos a ligação e tentávamos, incessantemente, voltar a comunicar.

O segundo copo de vinho, vem trazer as metáforas bélicas que o Amor é perito em usar. Em You're The Storm somos um país que busca ser conquistado, que procura ser feliz mas cuja a sua história é feita de longas e tortuosas guerras. Apesar disso, acreditamos que é essa história que leva à conquista de fronteiras que se esbatem quando nos apaixonamos, formando um único, não perfeito, mas feliz, território.

Com uma edição dupla em vinil de 180 gramas, abrimos a segunda garrafa para colocarmos o segundo disco após termos observado as fotos do quinteto em grande formato. A seguir a um breve silêncio, For What It's Worth irresistivelmente remete-nos para uma manhã primaveril, sentimos uma esperança sem fundamento, mas que nos faz sorrir.  Terminamos com 03:45 No sleep e na terceira garrafa, sem que a conversa a dois tenha perdido sentido. Parece que, apesar de todas estas distrações, conseguimos comunicar melhor que nunca.

Long Gone Before Daylight vai perdurar, pela noite dentro ... com a mensagem do 4º álbum destes suecos simpáticos, que nos trouxeram, ao longo de vários anos, hits pop em filmes dramáticos, como Lovefool, conduções loucas em My Favourite Game e colaborações únicas como Burning Down the House com Tom Jones, e que já falámos num tempo em que este blog era ainda uma criança (lembras-te?).

Inglês / English

Through the half-deserted streets, with some cold mixed with a good dose of optimism, we walk home with The Cardigans and Long Gone Before Daylight reissued in a well-protected bag (one of those impulsive purchases that make perfect sense). We don't want one of the best albums ever to experience the joy of being touched by the turntable's needle.

Long Gone Before Daylight (the platinum No. 1 in Sweden) arrived here full of memories of finished, unfinished stories and others that were  just imagination. As we look directly at the cover, we feel that we are surrounded by friends in the warmth of a night of philosophical conversations and well-defined opinions, at Museu d'Avó, amidst the dim light of candles, tapas and glasses of red wine that never stop coming to the table under a chandelier.

Communication opens the discussion, right after the liquid has slipped into a glass, and in 2021 as in 2003, it continues to provide numerous questions about what it means to be in communication with another person. Between real and virtual calls, in which we are busy or absent, we connect and disconnect our calls and we want to make sure that we don't waste time in times of fast connections. But, if we think about it, we may not have learned how to wait, such as when we used to connected our 56Kb modem, we lost the connection and tried, incessantly, to communicate again.

The second glass of wine brings the warlike metaphors that Love is used to. In You're The Storm we are a country that seeks to be conquered, that seeks to be happy but whose history is made up of long and tortuous wars. Despite this, we believe that it is this story that leads to the conquest of borders that become blurred when we fall in love, forming a unique, not perfect, but happy, territory.

With a double edition on 180 gram vinyl, we open the second bottle to place the second disc after having seen the pictures of the quintet in large format. Following a brief silence, For What It's Worth irresistibly reminds us of a spring morning, we feel a hopeless hope, but one that makes us smile. We ended with 3:45 am No sleep and the third bottle, without the conversation between the two having lost any meaning. It seems that, despite all these distractions, we can communicate better than ever.

Long Gone Before Daylight will continue, into the night ... with the message of the 4th album of these nice Swedes, who brought us, over several years, pop hits in dramatic films such as Lovefool, crazy driving in My Favorite Game and collaborations as Burning Down the House with Tom Jones, and we talked about in a time when this blog was still a child (remember?).

Dedicado a / Dedicated to: Diana, my friend and reader, ich wünsche dir das Beste!

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 18:46

Português / Portuguese
Nas ruas menos povoadas de turistas e da azáfama de um feriado de Páscoa, encontramos uma esplanada acolhedora, onde uma árvore bem grande nos protege dos raios de sol que estão a brilhar intensamente. São quase 6 da tarde e pedimos uma margarita para refrescar ... afinal, sentimos que estamos num dia de Verão. Reparo que os teus lábios ficam mais brilhantes cada vez que elevas o copo e, por isso, fico a olhar para ti fixamente. Gosto de te ver corar cada vez que te elogio, que me batas no ombro para parar cada vez que digo, maliciosamente, dá-me um beijo e em seguida trinco o lábio.
Por isso mesmo, a frase presente neste single it feels so classic / you and me the magic se aplica tão bem. Estamos dentro de um momento mágico, assim como este momento musical que a colaboração dos The Knocks e Powers nos trazem, em que misturam electrónica, nu-disco e EDM de forma original com um travo a clássico pop. Oriundos do outro lado do Atlântico, esta dupla já colaborou com Mathew Koma, Wyclef Jean dos Fugees e com a banda rock Walk The Moon. Classic, que lembra Steal My Sunshine de Len, foi editado como o primeiro single do álbum 55 de 2016 e conta com algumas remisturas, sendo de destacar a versão original do álbum (claro está!), a Sunset Version que retira o ritmo alegre da música e atribui-lhe características mais chillout, que torna necessário adicionar uns mergulhos, uma praia e uns amigos para se poder ouvir e, por último, a versão que adiciona os vocais masculinos mais em estilo rap de Fetty Wap, que mantendo Crista Ru pelo refrão, tranforma a canção mais própria para um estilo mais urbano e mais relaxado.
Qualquer uma destas versão conduz apenas a uma coisa ... ainda vamos na nossa terceira bebida e a nossa noite está bem longe de terminar, mas não percamos tempo:  Come to Me Baby, Don't Be Shy ... Beija-me (Já)!
Feliz Páscoa a todos! Que escrevas histórias únicas no teu livro, porque a banda sonora podes encontrar aqui no blog (ou subscrever a Playlist do Spotify!)


English / Inglês
In the less crowded streets of tourists and the hustle and bustle of an Easter holiday, we find a cozy terrace where a very large tree protects us from the rays of the sun that are shining brightly. It's almost 6 in the afternoon and we ordered a margarita to refresh ourselves ... after all, we feel like it's a summer day. I notice that your lips look brighter every time you lift the glass, so I look at you fixedly. I like to see you blushing every time I praise you, when you touch me on the shoulder to stop every time I say, maliciously, give me a kiss and then I bite my lip.
For this very reason, it seems that the sentence  it feels so classic / you and me the magic present on the single applies so well. We're in for a magical moment, just like this musical moment that the collaboration between The Knocks and Powers brings to us, in which they mix electronic, nu-disco and EDM in an original way with a classic pop feeling. Coming from the other side of the  Atlantic, this duo has collaborated with Mathew Koma, Wyclef Jean of the Fugees and with the rock band Walk The Moon. Classic, which reminds Steal My Sunshine by Len, was released as the first single from the 2016 album 55 and features a few remixes, as we stand out the original version of the album (of course!), the Sunset Version that takes the joyful rhythm of the song and adds more chillout features, which makes it necessary to add a dive in the sea, a beach and friends so that we are able to enjoy it to its fullest, and finally a version that features the male rap style of Fetty Wap, which keeps Crista's vocals on the chorus, but turns the song more appropriate for a more urban and chillout style.
All of these versions lead to one thing ... we are only drinking our third drink and our evening has just started, so let's not waste more time: Come to Me baby, don't be shy ... Kiss me (Now)!
Happy Easter everyone! Hope you write unique stories on your book, because the soundtrack you can find here on the blog (or subscribe the Spotify Playlist!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 17:57

electrcidade94cassette.jpg

Português/Portuguese
Hoje arrumamos o quarto e retiramos aquela caixa escondida ... (re)descobrimos que podemos sintonizar a 107.2 aka Rádio Cidade (mais tarde Cidade FM) e ouvir em fita de crómio. Esta era a rádio que acompanhou a adolescência da geração dos anos 90, com jingles inimaginavéis e programas diversificados e divertidos. Afinal, quantos é que esperavam com a cassete pronta na aparelhagem para gravar um desses programas?

Electricidade era um dos que se ouvia religiosamente, à espera das músicas de dança mais cool, que estavam nos Tops Internacionais e que iriam alegrar a nossa tarde. Aliás, o programa foi tão famoso que teve a sua primeira compilação em 94 (em CD, Cassete e Vinil) a atingir o primeiro lugar do Top de vendas em Portugal, e as seguintes editadas até 2004. À hora certa, ouvíamos o raio electrico e o famoso “Ahhh Electricidade” e sabíamos que íamos ouvir Rhythm Of The Night (Corona), Saturday Night (Whigfield), Luv 4 Luv (Robin S) ou Let The Beat Control Your Body (2 Unlimited) ... qualidade musical ou não, isso é irrelevante. Aliás, os bons momentos que estas compilações trouxeram em bailes de garagem e festas na escola são, por si só, memórias a guardar e que vamos poder recordar em Love The 90s agora em Maio.
Provavelmente, vais espirrar com o pó deste post e ver que o (Novo) Acordo Ortográfico ficou deveras nervoso .... mas afinal, é não é um #throwbackthursday?

Viaja no tempo ... Carrega Play!

 

English/Inglês
Today we tidy the room and take out that hidden box ... we find out (again) that we can almost tune in to 107.2 aka Rádio Cidade (later Cidade FM) and listen to music on a chromium tape. This was the radio station that accompanied Portuguese teenagers in the 1990s, with unimaginable jingles and diversified and entertaining programs. After all, how many of you were waiting but ready to record them?

Electricidade was one of those programs we listened religiously, waiting for the dance songs that were in the International Charts and that would brighten up our afternoon. In fact, the program was so famous that it had its first compilation in 94 (on CD, Cassette and Vinyl) to reach the first place of the Sales Charts in Portugal, and the following ones were released until 2004. At the right time, we would listen to the electric ray and the famous "Ahhh Electricidade" and we knew we were going to listen to Rhythm Of The Night (Corona), Saturday Night (Whigfield), Luv 4 Luv (Robin S) or Let The Beat Control Your Body (2 Unlimited) ... music quality aside, as it is irrelevant. In fact, the good times that these compilations have brought in garage balls and school parties are, by themselves, memories to keep and we are going to revive in Love The 90s in May.
You will probably sneeze with the dust that this post brings and see that the (New) Spelling Agreement got really nervous .... but after all, is it not a #throwbackthursday?
Travel in time ... Press Play!
(Translation note: Electricidade now written as Eletricidade)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 10:15

#throwbackthursday au revoir, PARIS?

by perplex3r, em 06.04.17

Palais Garnier, Paris, http://backtobasic.blogs.sapo.pt

One day, we're gonna live in Paris (I promise)
And every night we'll watch the stars 
They'll be out for us

Português/Portuguese
Paris,single editado em 2008 e presente no álbum homónimo (nº21 UK Charts) dos britânicos Friendly Fires conta com os backing vocals das americanas Au Revoir Simone, mas que na remistura de Vito de Luca (Aeroplane) tomam o lugar do vocalista. Ao contrário da história do single com o mesmo nome editado pelos Chainsmokers em 2017, em que Paris é um sentimento pelo qual tivémos que fugir dos nossos pais para lhes mostrarmos aquilo que valemos, neste Paris remisturado por Aeroplane, temos uma viagem por uma cidade electrónica e iluminada numa mistura de disco e 80s synth-pop.
Paris, Londres, Porto ... indiferente ao sítio onde estejamos,procuramos aquele espaço para uma vida a dois. Durante o dia, ou durante a noite polvilhada de luzes que realçam o nosso sorriso, entrámos em edifícios altos, palacetes e palácios que nos mostra a imobiliária que diz ser capaz de transformar a nossa ideia num sonho. Entramos num deles e todo aquele espaço vazio nos envolve, mas sentimos que o nosso mundo não cabe debaixo de um tecto ornamentado.
Então, decidimos  esperar um pouco mais ("hold on a little more") porque sentimos que queremos as estrelas como o limite do nosso mundo, em que tu vens, numa noite quente de primavera, quase sem roupa, para a pequena varanda onde espero por ti com um Casal Garcia bem gelado . É a esta cidade de Paris que esta remistura nos transporta e será esta melodia que nos acompanhará nesse momento.


English / Inglês
Paris, a single released in 2008 and featured in the self-titled album Friendly Fires (No.21 UK Charts), features background vocals from the American band Au Revoir Simone, but on the remix by Vito de Luca (Aeroplane) they take the singer's place. Unlike the story of the single with the same name released by the Chainsmokers in 2017, in which Paris is a feeling for which we run away from our parents to prove our own value, in this Paris remixed by Aeroplane, we have a trip through an electronic and illuminated city in mixture of disco and 80s synth-pop.
Paris, London, Porto ... regardless of where we are, we look for that place for a life of two. During the day, or during a night sprinkled with lights that highlight our smile, we enter tall buildings, small palaces and bigger palaces that the real estate, which says that is capable of transforming our idea into a dream, shows us. We enter one of them and all the empty space surrounds us, but we feel that our world does not fit under a decorated ceiling.
So we decide to "hold on a little more" because we feel that that we want the starts as the edge of our world, where you come to me, on a hot spring night, almost with no clothes, to the small balcony where I am waiting for you with a chilled bottle of Casal Garcia (wine). It is to this city of Paris that this music transports us and it is this melody that will make us company in this moment.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 18:18

WHAT IS LOVE ... the eternal question!

by perplex3r, em 05.04.17



Português / Portuguese 
What is Love é, provavelmente, a questão que percorre várias páginas dos nossos livros, às vezes em capítulos pequenos ou extensos, por vezes bem alegres ou tristes ... afinal, tantos anos depois, podemos ainda e sempre (?) questionar o que é o Amor, ou não? Desde os momentos em que nos apaixonámos e roubámos um beijo pela primeira vez no jardim de infância, sem saber muito bem o que eram aquelas borboletas na barriga à altura, bem mais tarde, em que as mesmas se juntam à admiração, ao desejo do corpo, à construção de uma relação (seja ela do tipo que for).
Em 1993, na versão eurodance de Haddaway tivémos a hipótese de perguntar com uma certa alegria mas agora Lost Frequencies revisita o tema de forma bem mais introspectiva, tornando o single do álbum Less is More ajustado para os fins de tarde um pouco mais quentes em que percorremos, sozinhos, os vários quilómetros dos passadiços das praias de Gaia e vamos, pontualmente, vendo caras alegres, cansadas e sorridentes. Existem ainda remisturas de Demitri Vegas e Like Mike, que são apenas próprias para festas EDM, de Rose (adicionada à playlist do Spotify) e Zonderling em que ambas adicionam um feeling bem mais próximo de classic house, fazendo com que estas questões filosóficas se tornem bem mais aprazivéis com um Martini Bianco bem gelado e amigos à nossa volta.
O vídeo, esse, mostra o amor que temos pelo desporto e por aqueles que estão ao nosso lado sempre que algo corre menos bem e que nos fazem, de uma certa forma, encontrar algumas respostas possíveis para esta pergunta. Por isso, 23 anos após a edição da primeira versão, mesmo com outra mistura electrónica e dançável, ainda estamos baralhados com todos os caminhos que esta pergunta nos leva ... Assim, só nos resta percorrer um por um com esta música, em busca de uma (qualquer) conclusão. Podes ouvir, já na playlist do blog!

English / Inglês
What is Love is probably the question that goes through several pages of our books, sometimes in short or long chapters, sometimes very happy or sad ... after all, so many years later, we can still and always (?) question what love is, can't we? From the moments when we fell in love and stole a kiss for the first time in the kindergarten, not knowing very well what those butterflies in the belly meant to the the time,years later, when they join the admiration, the desire of the body, the conception of a relationship (whatever it may be).
In 1993, in the eurodance version by Haddaway we had the chance to ask with some joy but now Lost Frequencies revisits the theme in a much more introspective way, making the single from the album Less is More tuned for little warmer afternoons when we travel, alone, through the several kilometers of the walkways on the beaches of Gaia and we, once in a while, see joyful, tired and smiling faces. There are also remixes of Demitri Vegas and Like Mike, which are just suitable for EDM parties, by Rose (added to the Spotify playlist) and Zonderling in which both add a feeling much closer to classic house, making these philosophical questions become much more enjoyable with a chilled Martini Bianco and friends around us.
The video shows the love we have for sports and those who are by our side whenever something goes wrong and that lead us, in a way, to find some possible answers to this question. So, 23 years after the release of the first version, even with another electronic and danceable mixture, we are still shuffled with all the paths that this question takes us ... So, we only have to go one by one with this song, in search of a(ny) conclusion!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 16:48

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


text me

back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!




Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17

 

 




Tradutor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds