Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



cry me a river ... não quero saber!

by perplex3r, em 17.03.21

Cry me a River

to tell a moaning person to shut up and that you dont care.
(source: Urban Dictionary)

 

Português/Portuguese

Quando a semana ainda vai a meio, assim como aqueles papéis mal organizados em cima da mesa, com todos os post its cheio de anotações, agendas repletas de riscos e de palavras mal desenhadas, não é possível, num belo dia de sol e de calor quase primaveril, estragarmos a alegria que sentimos com coisas sem sentido.

Cried Me a River, apesar de escrito no passado, é um sentimento bem presente com uma letra melodiosa que nos reporta a campos onde vemos desabrocharem flores de esperança. Não devemos nos importar sempre com tudo que nos dizem, não devemos sequer sentir dor de quem não quer ser ajudado ou, até mesmo, de quem usa uma certa chantagem sensual para agarrar o nosso olhar e nos fazer deixar de ver.

Jersey St, neste conto de vocal house, atinge essa maturidade que, para muitos, demora anos a desenvolver, mas que é perfeitamente atingível com toda a nossa história de vida.Tal como a vida, existem aqui duas edições neste 12", a versão vocal house, com a história bem contada à nossa frente e a versão dub, que mais não é que uma versão instrumental para nós escrevermos momentos da nossa história num banco de jardim ou num passeio junto ao mar...

Ou, neste momento, na varanda com uma lata de Super Bock fresquinha debaixo do silêncio da noite!

 

English/Inglês

When the week is still in the middle, as well as those badly organized papers on the table, with all the post its full of notes, diaries full of risks and badly drawn words, it is not possible, on a beautiful spring day of sun and heat, spoiling the joy we feel with meaningless things.

Cried Me a River, despite written in the past, is a very present feeling with melodious lyrics that takes us to fields where we see flowers of hope blooming. We shouldn't always care about everything they tell us, we shouldn't even feel pain from those who don't want to be helped or even from those who use a certain sensual blackmail to grab our gaze and make us stop seeing things.

Jersey St, in this vocal house tale, reaches that maturity that, for many, takes years to develop, but which is perfectly attainable with our entire life story. Like life, there are two editions in this 12" , the vocal house version with the story well told in front of us and the dub version, which is nothing more than an instrumental version for us to write moments of our history on a garden bench or on a walk by the sea ...

Or, right now, on the balcony with fresh can of Super Bock under the silence of the night!

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 20:53

lock:down .... (com) um lindo soulstice!

by perplex3r, em 03.03.21

Sousltice

I've been losing leaving
Fooling, deceiving
I've been stealing, hiding
Calling, crying

Português/Portuguese 

Confinados num espaço exíguo que são os metros quadrados da nossa casa, que não consegue conter todas as nossas alegrias, tristezas, experiências, desilusões e vivências sem memória, encontramos a primeira música do álbum de remisturas da banda SoulsticeMixed Illusions.

Illusion foi o título do primeiro álbum, tal como a realidade que sentíamos como eterna até há tão pouco tempo, e que precisou de uma nova roupagem mais alegre, mais longe do downtempo e trip hop, que achávamos que a vida nos trazia até...2020. Sim,eram pura ilusões os amores apaixonantes que conhecíamos cada fim de semana, cada dia em que nos agrupávamos em círculo após um gin e um desconto de cervejas académicas e ouvíamos o som de "log on" no extinto MSN Messenger.

Mixed Illusions, tal como os nossos dias hoje, trazem alegrias, ups and downs repletos de sons intermitentes que viajam e aprofundam as memórias de sintetizadores diários que ouvimos logo pela manhã. Lockdown abre, sem reticências, o que o álbum inicial não consegui e nos transposta para uma viajem sem igual com a voz de Gina Rene (A Thousand Years com Julius Papp), e que através de Falling nos deixa melancólicos, pensativos e ansiosos. Se a nossa vida teve que ser remisturada com mesas de mistura em mp3 e pens duvidosas, porque é que duvidamos? Provavelmente, um álbum de remisturas não traz nada de novo, pensam muitos de nós, o que não é o caso, uma vez que Miguel Migs, e Filla Brazillia conseguem transformar as melodias em novas experiências e viagens, nunca ouvidas e experimentadas ou adequadas a mais uma ou outra situação da nossa vida, seja feliz ou triste:

I've been alone, I'd rather be in love

Que o diabo venha e escolha ....

English/ Inglês

Confined in a small space that are the square meters of our house, which cannot contain all our joys, sorrows, experiences, disappointments and experiences without memory, we found the first song on the Soulstice remix album, Mixed Illusions.

Illusion was the title of the first album, as was the reality that we felt was eternal until so recently, and that needed a new, more cheerful outfit, farther from downtempo and trip hop, that we thought life would bring us until ... 2020. Yes, the passionate love affairs we knew each weekend, each day when we grouped in a circle after a gin and a discount of academic beer were pure illusions or heard the sound of "log on" on the extinct MSN Messenger.

Mixed Illusions, like our days today, bring joys, ups and downs filled with intermittent sounds that travel and deepen the memories of daily synthesizers that we hear early in the morning. Lockdown opens, without hesitation, what the initial album did not achieve and transposed us to an unparalleled journey with the voice of Gina Rene (A Thousand Years with Julius Papp), which through Falling leaves us melancholy, thoughtful and anxious. If our lives had to be remixed with mixers in mp3 and dubious pen drives, why do we doubt? Probably, a remix album does not bring anything new, many of us think, which is not the case, since Miguel Migs, and Filla Brazillia manage to transform the melodies into new experiences and journeys, never heard and experienced or adequate to one or another situation in our life, whether happy or sad:

I've been alone, I'd rather be in love

Take your pick ....

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 19:15

mix it ... vá lá, é sexta!

by perplex3r, em 19.02.21

 

not everybody understands house music
it's a spiritual thing, a body thing,
a soul thing

Eddie Amador, House Music (1997)

 




Português/Portuguese

Uma semana pesada de trabalho, em que a vida só passa perante um ecrã que muda de imagens entre contas Teams, Google e Sapo. Uma semana de trabalho em que as passwords se misturam, as imagens se fundem numa mescla de ficheiros e as palavras deixam de fazer sentido ao fim da tarde ... por isso, as conversas às 20 horas não fazem sentido algum. E a uma sexta-feira, poderão elas ser necessárias? Não parece que sejam!

Num dos dias menos alegres, redescobrimos a versão de um CD-R bem velhinho com o som que uma rádio de Lisboa se fazia conhecer no Porto. Talvez por isso, o som desta semana tivesse um travo de revivalismo, por entre discotecas como o SoundPlanet, Rocks ou até mesmo, 8 Graus Oeste na Veneza Portuguesa e a extinta Elektro Parade do Porto. Será este cenário que serve de abertura a uma compilação com 21 anos mas que contém o que de melhor (ou não) se fez num ano de música prontinha para martelar as pistas de dança, alcançar as tabelas de vendas e se tornarem clássicos. Exemplos? Não faltam ... Rui da Silva, com Touch me (nº1 no Reino Unido), Celeda com o som repetitivo e viciante de Underground, Deep Dish e Everything but the Girl, Da Hool e Funkstar Deluxe com Grace Jones e Barry White....

Não precisamos de muitas explicações, porque uma sexta com o tema "Do you remember?", só necessita de uma boa coluna no volume acima do aceitável, para acreditarmos que, em breve, uma extended version do nosso hit favorito irá estar prontinha para aquecer um dancefloor que, há um ano, nos espera .... ansiosamente! Por agora, afasta a mobília da sala e ...

Now let me see you work (esse corpinho que esteve sentado o dia todo!)
Celeda, Undergound (Addictive Trip Mix)

 

Inglês/English

A heavy week of work, in which life only passes in front of a screen that changes images between Teams, Google and Sapo accounts. A work week in which passwords are mixed, images are merged into a mixture of files and words no longer make sense in the late afternoon ... so conversations at 8 pm make no sense. And on a Friday, could they be necessary? It doesn't look like they are!

On one of the less joyful days, we rediscovered the version of a very old CD-R with the sound from a Lisbon radio which was becoming known in Porto. Perhaps this is why this week's sound had a touch of revival, among clubs such as SoundPlanet, Rocks or even, 8 Graus Oeste(1) in Portuguese Venice(2) and the extinct Elektro Parade in Porto. It will be this scenario that opens a 21-year-old compilation but that contains the best (or not) made in a year of music ready to bump the dancefloors, reach the sales charts and become classics. Examples? There are a lot  ... Rui da Silva, with Touch me (No. 1 in the UK), Celeda with the repetitive and addictive sound of Underground, Deep Dish and Everything but the Girl, Da Hool and Funkstar Deluxe with Grace Jones and Barry White....

We don't need many explanations, because a Friday with the theme "Do you remember?",  just needs a good speaker in highest volume acceptable, to believe that, soon, an extended version of our favorite hit will be ready to warm up a dancefloor that has been waiting for us for a year ... eagerly! NOw, make room in your living room and ...

Now let me see you work (that body that spent the whole sitting on the sofa)
Celeda, Undergound (Addictive Trip Mix)

(Translations notes: 1 SoundPlanet, Rocks and 8 Graus Oeste were clubs in Porto and Aveiro. 2 Portuguese Venice -  nickname given to the city of Aveiro due to its cannals)

 

Dedicado a / Dedicated to: Mónica, David, Gaby, Sara e Anabela  (for all the crazy nights at these clubs and parties ... will we have more, soon? I do believe so!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 18:49

love and OTHER GIRL(s)

by perplex3r, em 03.05.17

Português / Portuguese
Quando contamos os dias, as horas, as semanas e juntámos tudo e obtemos anos e anos de relações, sabemos que nem todas dão certo. Algumas são apenas pequenos parágrafos de páginas escritas à mão, outras transformam-se em pequenos folhetos de jornal e, para o melhor ou para o pior, algumas são mesmos livros com páginas e páginas de acontecimentos, repletos de lágrimas, de abraços, partilhas e algum egoísmo. Nada é fácil quando acaba, mas essa experiência pode muito bem ser enriquecedora, construir uma nova personalidade e obter o melhor que o outro nos ofereceu mas, acima de tudo, crescer sem nunca deixarmos de sermos nós próprios.
Other Girl de Morgan Page com Rayla retrata o final de uma relação, em que não se é capaz de apostar na sinceridade, de chegarmos ao momento de dizermos "Já não gosto de ti" e não porque não conseguimos (apenas) por cobardia, mas porque, secretamente, escrevemos umas linhas de histórias com outra pessoa. Descobrir isso, dessa forma, leva a frases como "não és quem eu pensava", e talvez não fosse mesmo, já que o outro tem, desde o dia um, ser ele próprio e nós nunca devemos (embora seja difícil) criar imagens ao nosso gosto. No final das contas, a fase de construir castelos e de príncipes e princesas já deveria ter terminado há muito.
Assim, mais até do que triste, Other Girl torna-se uma experiência positiva,uma break up song em que nos faz abrir os olhos, libertar de tudo o que não seja positivo e viver a vida com um alegre sorriso invejável. Tu não és mais nem menos que a outra rapariga, és apenas tu e, simplesmente, não irias a lado nenhum se continuasses nessa histórica, tornavas-te numa personagem de uma telenovela, sempre às voltas. Por isso, o melhor é mesmo apostar em ouvir em versão extended do tema, usufruir dos vocais da bela Rayla e a produção deste produtor que já ganhou dois grammies e já remisturou Katy Perry e The Temper Trap, por exemplo.

English/Inglês
When we count the days, the hours, the weeks and gather everything and we get years and the years of relationships. Some are just small paragraphs of handwritten pages, others turn into little newspaper pamphlets, and for better or for worse, some are books with pages and pages of events, full of tears, of hugs, some selfishness. Nothing is easy when it is over, but this experience may well be enriching, building a new personality and getting the best the other has offered us, but above all, growing up without ever ceasing to be ourselves.
Other Girl by Morgan Page with Rayla portrays the end of a relationship, in which one is not able to bet on sincerity, to come to the moment of saying "I do not love you anymore" and not because we can not say (just) due to cowardice, but because, secretly, we have started writing lines of stories with another person. To discover this, in this way, we come up with sentences like "you are not what I thought you were", and maybe he/she wasn’t, since the other has to be himself, since day one, and we should not (even though it is difficult) imagine things as we want them to be. In the end, the time building castles and princes and princesses should already be gone.
So, more than being a sad song, Other Girl becomes a positive experience, a breakup song which opens our eyes, free us from everything that is not positive and makes us live a life with a cheerful smile. You are not more or less than the other girl, you are just you and, simply, you wouldn’t go anywhere if you would continue to be in this story, you would become a character on a long soap opera.  Therefore it is the best to love the extended version of the song, enjoy the vocals of the beautiful Rayla and the production of this producer who has already won two grammies and has already remixed Katy Perry and The Temper Trap, for example.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 14:37

IN THIS GAME of love!

by perplex3r, em 17.04.17

Source: nature-one.dePortuguês / Portuguese
Neste jogo que é a vida, seja ela sozinhos, com alguém que amamos, não apenas por paixão, mas também em relações de amizade, achamos que apostamos em pessoas, que apostamos o que podemos ser e, muitas vezes, tal como num jogo the slot machines, apostamos pouco com a esperança de sairmos a ganhar milhões. Afinal, há um certo nervosismo miudínho que nos faz acreditar nessa probabilidade.
Foi exatamente isto que aconteceu ao alemão Fritzt Kalkbrenner, conseguiu um feito único, juntamente com os seu irmão Paul Kalkbrener. Ambos tiveram o seu primeiro breakthrough com o tema incluído no filme Berlin Calling denominado Sky & Sand (incluída na Playlist do Blog) que esteve 129 semanas dentro da German singles charts.Tal como em todos os caminhos que temos que seguir no nosso dia a dia,  após esse sucesso, ambos seguiram direcções artísticas diferentes, embora ambos dentro do género electrónico.
Fritz, tem vindo a proporcionar umas tantas alegrias electrónicas desde o seu primeiro álbum Here Today Gone Tomorrow (2010), oferecendo melodias mais quentes, com alma e repletas de batidas electro q.b. Em 2016 editou Grand Départ e cujo single In This Game, nos faz questionar até que ponto somos capazes de mudar o que somos neste jogo que pode ser uma relação a dois. Por vezes, nos altos e baixos de relações saturadas a frase Desire to find a chance to change who we’ve become é mais que perfeita, mas apenas desejar não chega, e todos nós sabemos isso. É aqui que entra o refrão, que resume qualquer jogador, que ganha, perde, roda e sangra, que mais não é que dizer-nos que todo o sucesso só depende do que pretendes atingir ou, se não te queres magoar, não precisas de jogar (mas também não irás ganhar nada!).
Este é, então, o tema para a página de segunda-feira, oriundo das terras frias da Alemanha, mas que se vai enquadrar nos teus dias de sol, quentes e apaixonantes. 


English / Inglês
In this game that is life, with someone we love, not only for passion, but also in relationships of friendship, we think that we bet on people, that we bet what we are, often, like in a slot machines game, we bet little, hopping that we will make millions. After all, there is a certain nervousness that makes us believe in this probability.
That is exactly what happened to Fritzt Kalkbrenner, achieved a unique feat, along with his brother Paul Kalkbrener. Both had their first breakthrough with the song included in the Berlin Calling film called Sky & Sand (included in the Blog Playlist) which was 129 weeks within the Germany singles charts. As all the paths we have to follow daily, after this success, the two followed different artistic directions, both within the electronic genre.
Fritz has been offering some electronic joys since his first album Here Today Gone Tomorrow (2010), providing warmer, soulful melodies and full of electro beats, from which the single In this Game questions us on which extent are we ready to change who we are in this game that a relationship is. Sometimes in the ups and downs of saturated relationships the sentence Desire to find a chance to change who we’ve become is more than perfect, but wishing is not enough and we all know that. This is where the refrain comes in, which picks up any player who wins, loses, runs and bleeds, which is not more than telling us that success depends on what you want to achieve, you do not need to play (but you will not win either anything!).
This is then the theme for Monday's page, coming from the cold lands of Germany, but that is going to fit in your hot, sunny and captivating days.

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 16:00

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


text me

Tradutor/Translator


back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!




Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17

 

 

158228775_799677383988548_6468362411738584546_n.jp




Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.