Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



2a feira ... situation: critical!

by perplex3r, em 15.03.21

Português/Portuguese

Situation:Critical é aquele momento em que a esperança parece esgotada, num misto de cansaço e resignação. Tal como nos fomos sentindo ao longo dos meses frios de 2021. Com a frase After all this time, you think somebody might of learned their lesson o álbum é aberto, quase como se fosse uma escritura sagrada, ao nos recordar que muitas vezes as nossas lições de nada serviram e, desnecessariamente, procurámos experimentar momentos de sofrimento que mais não fazem que trazer sensações de déjà vú.

Found a Cure funde-se com a busca incessante de New Kind of Medicine; digamos que muitas vezes temos que ir buscar ao passado as melhores experiências para a base de um progresso interno que nos conduza a algo novo e muito, muito mais alegre. Tal como a situação que o mundo nos dias de hoje vivencia, todos já tivemos os nossos períodos de quarentena, em que o nosso coração estava fechado, saía apenas em horários específicos e recolhia-se na sala, debaixo da penumbra. Depois disso, e sem ajuda de Inteligência Artificial, procurava os anticorpos necessários para não mais ter ligações tóxicas ao seu corpo.

Ultra Naté atinge o estrelato em 1998 (#17 UK Album Charts) com um álbum que podia ser muito bem uma profecia Maia dos nossos corações ou, anos depois, do mundo. Ao longo de 10 faixas originais, conseguimos ter uma mistura de disco, dance, pop, garage house e vocal house, com momentos mais calmos mas cheios de martelinhos que alegrariam qualquer festa de fim de tarde. Afinal, temos os comprimidos de Master At Work, Mood II Swing e D-Influence que nos trazem a imunidade que precisamos para prosseguir com as nossas histórias (de amor), pelo menos, até à próxima paixão arrebatadora.

Por isso, e não só, se consegue compreender porque Free foi se tornou num hino de uma geração que se queria libertar de grilhões emocionais e de algemas que recriminavam a cultura de música electrónica....e que agora apenas anseia libertar-se das quatro paredes da sua sala prisional.

Mas, já faltou muito mais para cantarmos, debaixo de uma bola espelhos às 4 da manhã:

'Cause you're free
To do what you want to do
You've got to live your life
Do what you want to do

 

English/Inglês

Situation: Critical is that moment when hope seems exhausted, in a mixture of tiredness and resignation. As we have been feeling throughout the cold months of 2021. With the phrase After all this time, you think somebody might of learned their lesson the album is opened, almost as if it were a sacred scripture, reminding us that many times our lessons were of no use and, unnecessarily, we tried to experience moments of suffering that do nothing but bring feelings of déjà vú.

Found a Cure merges with the relentless pursuit of New Kind of Medicine; let us say that we often have to seek the best experiences from the past to be the basis of internal progress that leads us to something new and much, much more joyful. Like the situation that the world nowadays experiences, we have all had our quarantine periods, in which our hearts were closed, only going out at specific times and retreated into the room, under the gloom. After that, and without the help of Artificial Intelligence, he looked for the necessary antibodies to no longer have toxic connections.

Ultra Naté reached stardom in 1998 (# 17 UK Album Charts) with an album that could very well be a Maya prophecy of our hearts or, years later, of the world. Throughout 10 original tracks, we managed to have a mix of disco, dance, pop, garage house and vocal house, with calmer moments but full of beats that would brighten up any evening party. After all, we have Master At Work, Mood II Swing and D-Influence pills that give us the immunity we need to continue with our (love) stories, at least, until the next overwhelming passion.

That is why, and not only, it is possible to understand why Free became an anthem of a generation that wanted to free itself from emotional shackles and handcuffs that blamed the culture of electronic music ... four walls of your prison room.

But,we are less further to sing, under a mirror ball at 4 in the morning:

'Cause you're free
To do what you want to do
You've got to live your life
Do what you want to do

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 19:22

Foundations: amor e(m) confinamento ..

by perplex3r, em 24.02.21

You said I must eat so many lemons,
'cause I am so bitter.
I said "i'd rather be with your friends mate,
'cause they are much fitter"

Português/Portuguese

Foundations de Kate Nash nunca fez tanto sentido como agora...nem quando estávamos apaixonados durante aquela idade da inocência ou, até mesmo, durante os nossos famosos twenties em que,para nós, o mundo era uma infindável lista de possibilidades, que se foram desvanecendo com o tempo.

Estamos, agora, naquele momento em que o nosso amor foi encontrado e, com o qual, temos que partilhar todas aquelas coisas fofas que, no início, achávamos que seriam tão características e que não as trocávamos por nada ... até hoje! Podemos dizer, amo-te tal como és, porque te vejo ao fim do dia e a saudade fica mais apertada; mas agora, gostávamos de dizer amo-te tal como és, mas se mudares esta coisinha pequenina, vou gostar ainda mais. Exemplos? Que tal lavares a loiça? Parares de comer e fazeres migalhas quando estou em vídeo chamada ou, se calhar, parares de ouvir essa música de uma vez por todas? Estamos a entrar num colapso em que o amor e uma cabana pode não chegar, em que vamos buscar aquelas ironias infantis que, maldosamente, nos podem trazer por breves momentos durante a semana, alguma a alegria/tristeza.

Este single, que chegou ao Top 10 do Reino Unido, num ano particularmente especial na música (2007), entre cantores conhecidos pelo MySpace e Youtube e alguns mp3 espalhados pelos programas peer to peer nos fazia pensar se os nossos corações estavam destinados ao que tínhamos ao lado. Ainda, trouxe à tona aqueles sentimentos de revolta e de vergonha, com um travo de ironia em atos impensáveis. Uns anos volvidos, Kate Nash traz, docemente, a questão se podemos ou não esquecer os detalhes de que a vida são feitos. Será por isso que este álbum se chamou Made of Bricks (UK nº1)? Talvez ...

O que é certo é que esta casa, hoje, foi construída a dois e não pode, de alguma maneira, ser derrubada por aquela vontade de te deixar na sala com a janela aberta para aprenderes a não beber tanto Casal Garcia a uma quarta-feira. Ou então, não teres um jantar pronto a horas simplesmente porque te apeteceu estar a ver mais um episódio daquela série absurda na Netflix sobre sexo que não podemos ter, já que temos muita gente à nossa volta.

Afinal, a semana está a meio e, na sexta-feira, vamos esquecer estes pormenores ridículos e lembrar o quanto este amor nos faz feliz (mesmo sem ter levantado a tampa da sanita durante 4 dias ou ter sujado o chão com toda aquela comida vegetariana que decidimos fazer depois de ver um programa no 24 Hour Kitchen).

This ... is what love is all about!

English/Inglês

Kate Nash's Foundations has never made more sense than now ... not even when dating during that age of innocence or even during our famous twenties when, for us, the world was an endless list of possibilities, gone fading over time.

We are now in that moment when our love was found and, with whom we have to share all those cute things that, in the beginning, we thought would be so characteristic and that we would not exchange them for anything ... until today! We can say, I love you the way you are, because I see you at the end of the day and the longing gets tighter; but now, we would like to say I love you the way you are, but if you change this little thing, I will like you even more. Examples? How about washing the dishes? Stop eating and making crumbs when I'm on a video call, or maybe stop listening to that song once and for all? We are entering a collapse in which love and a hut may not be enough, in which we seek those childish ironies that, maliciously, can give us some joy / sadness for brief moments during the week.

This single, which reached the UK's Top 10, in a particularly special year in music (2007), among singers known for MySpace and Youtube and a few mp3s spread across peer to peer programs made us wonder if our hearts were destined for what we had next to us. Still, it brought up those feelings of revolt and shame, with a touch of irony in unthinkable acts. A few years later, Kate Nash sweetly raises the question of whether or not we can forget the details of what life is made of. Is that why this album was called Made of Bricks (UK # 1)? Maybe ...

What is certain is that this house, today, was built by two and cannot, in some way, be overthrown by that desire to leave you in the room with the window open for you to learn the lesson of not to drink so much Casal Garcia on a Wednesday.  Or, not having a dinner ready on time simply because you felt like watching another episode of that absurd series on Netflix about sex that we can't have, since we have a lot of people around us.

After all, the week is almost over and, on Friday, we will forget these ridiculous details and remember how happy this love by our side makes us (even without having lifted the toilet lid for 4 days or having soiled the floor with all that vegetarian food you decided to make after watching a program on  24 Hour Kitchen).

This ... is what love is all about!

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 20:41

(Download) Speedsound - Electric Funky

by perplex3r, em 28.08.09
  
 

English

   
Português

Funk, Disco and House all together in an unique cd that is a result of an audiovisual project by Vurraro and Yuri X, that aim to unite funky and minimal house with unique imagery. In a memorable date of 12 original tracks, one has an energetic, funny and perfect path for a Friday that has already started.
You Got is the start point of this travel full of disco rhythms, that end with I Miss You, which reminds us the times when Masters At Work’s remixes were dancefloor killers. In the middle of this trip, we are taken to disco sounds similar to  Funkstar Deluxe, in I’m So Young, strong progressive house beats with Well New Bass, Ando Hard Bass and Blondie, and we are also surrounded by a fabulous electro house in Oxigenio.
In this way, if you thought that Brazil could only export samba and country music, the proof that this conclusion is wrong is Electric Funky, a handful share of electronic rhythms to dance.
 

 

 

 

Funk, Disco e House unidos num cd único resultado de um projecto audiovisual de Vurraro e Yuri X, que pretende unir funky house minimalista com imagens únicas. Num encontro memorável de 12 faixas originais, temos um percurso energético, divertido e perfeito para uma sexta-feira que ainda agora começou.
You Got é o ponto de partida desta viagem disco cheia de ritmo que culmina em I Miss You, relembrando os momentos áureos das remisturas de Masters At Work. Pelo meio desta viagem, somos transportados para ritmos disco muito ao estilo de Funkstar Deluxe, em I’m So Young, por batidas fortes de um house progressivo em Well New Bass, Ando Hard Bass e Blondie, e também somos rodeados por um fabuloso electro house em Oxigenio.
Desta forma, se pensavam que do Brasil apenas se podia exportar samba ou música popular, a prova que essa conclusão é errada está em Electric Funky, uma amostra cheia de ritmo electrónico para dançar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 16:28

(Download) Synteticboy - Mentally Unstable

by perplex3r, em 07.08.09
  
 

English

   
Português

Synteticboy couldn’t have choosen another title for this album. 8 tracks comprise this incoherent journey through electro, chillout and techno. After Houre does the intro in an energetic and danceable rhythm, followed by other breaks with guitars, scratchings and vocals with Lonelly and Sound Sculptor, with chillout beats, resumed only on the last track Compressed Bass. In this ride, there is time to visit some stronger rhythms that are similar to Enigma’s first album and some that are closer to techno, with the remix of Neverland for Kate Lessing, which has all the progressive clichés of this music genre.
To sum up, this may not please everybody, but as the album has a little bit of each music genre, there will be a track that will persist in our musical collection, for sure.
 

 

Synteticboy não podia ter escolhido outro título para este álbum. 8 faixas compõem esta viagem um pouco desconexa pelo electro, chillout e techno. After Houre abre em ritmo energético e dançável e seguem-se outras paragens pelas guitarras, scratchings e vocais com Lonelly e Sound Sculptor, em ritmos chillout, só retomados na última faixa Compressed Bass. Neste percurso, há ainda tempo para visitar ritmos mais fortes que se assemelham ao primeiro álbum de Enigma e outros que se aproximam do techno, com a remistura para Kate Lessing de Neverland, que tem todos aqueles clichés de progressão deste género.
Em suma, é capaz de não agradar a todos, mas como o álbum tem um pouquinho de tudo, haverá sempre alguma faixa que irá perdurar na nossa colecção musical.

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 14:21

  
 

English

   
Português

Egocentric Youth is a trip to a prodigious electronic and egocentric world. Already released on Demo1 with a very peculiar remix name, DJ Matt Fatt Biggest Loser Mix, which is almost like a denial of the title of the track, now it is presented with a new and improved sound by IceSun.
The italian deejay accepted the challenge proposed by the American Hektor Thillet, who made available the accapella, and now we have the chance to listen to this fantastic electrohouse version. It has everything in it, rhythm, strong beats and great bass. However, like any other single release, it seems proper to have had a dub version, as the self absorbed lyrics might, for some, be considered too much.

 

 

Egocentric Youth é uma viagem ao mundo egocêntrico num enredo electrónico prodigioso. Já editado em Demo1 com uma remistura de nome bastante peculiar, DJ Matt Fatt Biggest Loser Mix, que é quase um contra-senso ao título da faixa, agora é apresentada uma nova roupagem por IceSun.
A deejay italiana aceitou o desafio proposto pelo americano Hektor Thillet, que disponibilizou o accapella, e agora temos a oportunidade de ouvir esta versão electrohouse fantástica. Esta tem tudo, ritmo, batidas fortes e uma fantástica bass. Contudo, e quase como em qualquer edição em single, parece que deveria existir uma versão dub, uma vez que a letra em volta do umbigo possa, para alguns, ser considerada excessiva.

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 14:00

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


text me

back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!




Blogs Portugal

Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17

 

 




Tradutor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.