Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 

Ruhe
Das höchste Glück auf Erden
Kommt sehr oft nur durch Einsamkeit in das Herz
 

 

Português/Portuguese
Numa sexta-feira, outrora movimentada de carros, luzes vermelhas, verdes e amarelas, entrecortadas pela chuva, de correrias, de vozes no metro e de telefonemas a alto e bom som pela avenida, tudo em busca do início de uma happy hour pela baixa, fugíamos todos a momentos de silêncio (Ruhe) em busca de experiências que borbulhavam som.
Hoje, num dia frio de Fevereiro, buscamos um silêncio recortado de melodias que não sejam eufóricas, mas que não sejam demasiado introspectivas para este nosso confinamento. Como resolver esta dualidade? 
Não será a lermos Johann Christoph Friedrich von Schiller, que o iremos conseguir. Mas a ouvirmos a banda electrónica que partilha o seu sobrenome. Com uma carreira que iniciou no final do milénio, e com mais de 7 milhões de álbuns vendidos (bilingues), duetos com Sarah Brightman, Nadia Ali, Kim Sanders, Mike Oldfield, entre outros, temos uma fusão de classicismo e sons electrónicos e tecnologias, numa amálgama de emoções sonoras.
Symphonia é isso mesmo, pois nunca nos faz resvalar em emoções interiores demasiado pessimistas e, simultaneamente, não cria a euforia necessária que nos faria querer abrir a porta de casa, apesar de oferecer crescendos emotivos, em pouco mais de uma hora (Ah, e não saber Alemão não implica em nada não querer desbravar caminhos por estes sons sentados no sofá)
Freitag ... uma garrafa de vinho tinto, as portadas abertas para ver a chuva a bater nas janelas, Symphonia de fundo e ____________ (preencher com o que mais te faz falta numa noite relaxante). 

Inglês/English
On a Friday, once bustling with cars, red, green and yellow lights, interrupted by rain, rushing, voices in the metro and loud calls on the avenue, all in search of the beginning of a happy hour downtown , we all ran away from moments of silence (Ruhe) in search of experiences that bubbled sound.
Today, on a cold February evening, we seek a silence cut out of melodies that are not euphoric, but that are not too introspective for our confinement. How to resolve this duality?
Reading Johann Christoph Friedrich von Schiller, will not be the answer. But listening to the electronic band that shares his surname. With a career that started at the end of the millennium, and with more than 7 million (bilingual) albums sold, duets with Sarah Brightman, Nadia Ali, Kim Sanders, Mike Oldfield, among others, we have a fusion of classicism and electronic sounds and technologies, in an amalgamation of sonorous emotions.
Symphonia is just that, because it never makes us slip into overly pessimistic inner emotions and, at the same time, it does not create the necessary euphoria that would make us want to open the door of our home, despite offering emotional growth, in just over an hour (Ah, and not knowing German does not imply that you do not want to open paths through these sounds sitting on the sofa).
Freitag ... a bottle of red wine, the shutters wide open to see the rain hitting the windows, Symphonia in the background and ____________ (fill in with what you miss most on a relaxing night).

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 19:35

Português / Portuguese
Nas ruas menos povoadas de turistas e da azáfama de um feriado de Páscoa, encontramos uma esplanada acolhedora, onde uma árvore bem grande nos protege dos raios de sol que estão a brilhar intensamente. São quase 6 da tarde e pedimos uma margarita para refrescar ... afinal, sentimos que estamos num dia de Verão. Reparo que os teus lábios ficam mais brilhantes cada vez que elevas o copo e, por isso, fico a olhar para ti fixamente. Gosto de te ver corar cada vez que te elogio, que me batas no ombro para parar cada vez que digo, maliciosamente, dá-me um beijo e em seguida trinco o lábio.
Por isso mesmo, a frase presente neste single it feels so classic / you and me the magic se aplica tão bem. Estamos dentro de um momento mágico, assim como este momento musical que a colaboração dos The Knocks e Powers nos trazem, em que misturam electrónica, nu-disco e EDM de forma original com um travo a clássico pop. Oriundos do outro lado do Atlântico, esta dupla já colaborou com Mathew Koma, Wyclef Jean dos Fugees e com a banda rock Walk The Moon. Classic, que lembra Steal My Sunshine de Len, foi editado como o primeiro single do álbum 55 de 2016 e conta com algumas remisturas, sendo de destacar a versão original do álbum (claro está!), a Sunset Version que retira o ritmo alegre da música e atribui-lhe características mais chillout, que torna necessário adicionar uns mergulhos, uma praia e uns amigos para se poder ouvir e, por último, a versão que adiciona os vocais masculinos mais em estilo rap de Fetty Wap, que mantendo Crista Ru pelo refrão, tranforma a canção mais própria para um estilo mais urbano e mais relaxado.
Qualquer uma destas versão conduz apenas a uma coisa ... ainda vamos na nossa terceira bebida e a nossa noite está bem longe de terminar, mas não percamos tempo:  Come to Me Baby, Don't Be Shy ... Beija-me (Já)!
Feliz Páscoa a todos! Que escrevas histórias únicas no teu livro, porque a banda sonora podes encontrar aqui no blog (ou subscrever a Playlist do Spotify!)


English / Inglês
In the less crowded streets of tourists and the hustle and bustle of an Easter holiday, we find a cozy terrace where a very large tree protects us from the rays of the sun that are shining brightly. It's almost 6 in the afternoon and we ordered a margarita to refresh ourselves ... after all, we feel like it's a summer day. I notice that your lips look brighter every time you lift the glass, so I look at you fixedly. I like to see you blushing every time I praise you, when you touch me on the shoulder to stop every time I say, maliciously, give me a kiss and then I bite my lip.
For this very reason, it seems that the sentence  it feels so classic / you and me the magic present on the single applies so well. We're in for a magical moment, just like this musical moment that the collaboration between The Knocks and Powers brings to us, in which they mix electronic, nu-disco and EDM in an original way with a classic pop feeling. Coming from the other side of the  Atlantic, this duo has collaborated with Mathew Koma, Wyclef Jean of the Fugees and with the rock band Walk The Moon. Classic, which reminds Steal My Sunshine by Len, was released as the first single from the 2016 album 55 and features a few remixes, as we stand out the original version of the album (of course!), the Sunset Version that takes the joyful rhythm of the song and adds more chillout features, which makes it necessary to add a dive in the sea, a beach and friends so that we are able to enjoy it to its fullest, and finally a version that features the male rap style of Fetty Wap, which keeps Crista's vocals on the chorus, but turns the song more appropriate for a more urban and chillout style.
All of these versions lead to one thing ... we are only drinking our third drink and our evening has just started, so let's not waste more time: Come to Me baby, don't be shy ... Kiss me (Now)!
Happy Easter everyone! Hope you write unique stories on your book, because the soundtrack you can find here on the blog (or subscribe the Spotify Playlist!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 17:57

Frankie Knuckles .... House Legend, R.I.P!

by perplex3r, em 01.04.14

 

Português / Portuguese

Hoje a música eletrónica ficou mais pobre, Frankie Knuckles já não está entre nós! Um dos pioneiros da música house oriundo de Nova Yorque, remisturou bandas de vários géneros musicais, produziu temas bem dançáveis que abriram caminho ao que se ouve nos dias de hoje. Ao mesmo tempo,conseguiu oferecer nessas remisturas todo aquele maravilhoso som de piano em grooves conhecidas, agora, como classic house.

Para quem divulgou, conquistou e cuja a obra irá perdurar, aqui fica a homenagem a ti, Frankie!

 

English / Inglês

Today electronic music became poorer, as Frankie Knuckles is no longer among us! One of the house music pioneers hailing from New York, he remixed bands from several music genres, produced danceable tunes which paved the way to what we listen nowadays. At the same time, he offered in those remixes the entire marvelous piano grooves known, today, as classic house.

To a person who spread, conquered and whose work will prevail, here’s a homage to you, Frankie

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 16:25

English

   
Português

“I know I’ve asked to much of you / and I pushed you away”

Can the simplicity of those words shake the skeptical ones, the   unbelievers and those who are cold because of the weather or life? It seems that in the blossom of a spring that has been proving to be cold, Woman’s Hour can show us the sunlight in our musical world. Fiona Burgess, William Burgess, Nicolas Graves, Josh Hunnisett managed to shake this season with the track Her Ghost, fresh, melodic and electronically simple (without being poor)!

To prove that, one has the promo video which turns into gestures Fiona’s words, the voice that came be part of the list of indie bands and force our hearts to have hope in the music business in 2014.

In relation to Love, when we have nothing left to say, we can simply give that long hug and listen ….

 

“I know I’ve asked to much of you / and I pushed you away”

Pode a simplicidade de tais palavras estremecer os mais cépticos, os descrentes e o  que estão frios pelo tempo ou pela vida? Parece que no florescer de uma primavera que se tem demonstrado fria,  Woman’s Hour consegue abrir um raio de sol no nosso mundo musical. Fiona BurgessWilliam BurgessNicolas GravesJosh Hunnisett conseguiram abalar o início da estação com o tema Her Ghost, fresco, melódico e electronicamente simples (sem parecer pobre!).

A provar isso mesmo, está o video de promoção que transforma em gestos as palavras de Fiona, a voz que veio para ficar e entrar na lista de bandas indie  e obrigar a nosso coração a ter esperança na música no ano de 2014.  

E se em relação ao Amor, não temos nada a dizer, podemos simplesmente dar aquele abraço prolongado e ouvir …

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 19:34

English

   
Português

Ikea, Freddie Ljungberg and Abba …. All well-known Swedish exports. Of course, you should have added the dj, pianist and producer Rasmus Faber if (god forbid!) you don’t know him yet. He already has a great musical career with a bunch of albums and compilations and tracks that were added to critically acclaimed releases of Hed Kandi, for example. How can one describe the feeling when we listen to his tracks? Well, we can’t. In fact we have fantastic sensations of summer, love and happiness.

The Sun started to shine and nothing better than to kick off this year’s spring with the album Indian Summer, which is exactly what we have been waiting for. Does the fact that he comes from Sweden makes you feel a bit chilly? Don’t worry! He really knows how to mix electronic music with hot sounds and deep house grooves wrapped in live instrumentation.

This LP is comprised of 8 tracks with a minimum of 126 BPM and amazing collaborations with Emily McEwan, Polina Griffith, Melo and Frida Sundemo. This summer trip kicks off with Indian Summer, which for those who haven’t been to India yet, might feel the shinny colours and aromas of the country. Clear The Rain is just that, it allows you wear your sunglasses and enjoy the beach as if were there for the first time. You will continue enjoying this typical mixture of beats until Hunt You Down and Hurricane, which cools things down for a bit though the name shows the opposite, before you end with the track Take Me Dreaming … well, that’s exactly what you will say when you finish listening to album and you will pray not to wake up!

Therefore, do not expect commercial pop or dance music! Do expect a LP with real feelings and a journey through dreams. In this way Indian Summer  is capable of changing opinions for those who are always skeptical about the fact that dance music is worth buying and listening to!

 

IkeaFreddie Ljungberg e  Abba … Todas exportações Suecas bem conhecidas. Claro, deverias acrescentar o dj, pianista e produtor Rasmus Faber se (Deus te perdoe!) ainda não o conheces. Já possui uma fantástica carreira musical com um punhado de albums e compilações e canções que foram aclamadas pela crítica em edições de Hed Kandi, por exemplo. Como se pode descrever o que se sente quando ouvimos os seus temas? Bem, não se consegue.  De facto, temos sensações fantásticas de verão, amor e felicidade.

O Sol começou a brilhar e nada melhor que dar o pontapé de saída para a primavera deste ano com o álbum Indian Summer, que é exactamente aquilo que estávamos à espera. O facto de ele vir da Suécia faz-te sentir com um pouqinho de frio? Não te preocupes! Ele sabe muito bem como misturar música electrónica com sons quentes e deep house e embrulhá-los com instrumentos reais.

Este LP é composto por 8 temas com o mínimo de 126 BPM e com grandes colaborações com Emily McEwan,Polina GriffithMelo and Frida Sundemo. Esta viagem de verão começa com Indian Summer, que para quem nunca lá foi, pode sentir as cores brilhantes e os aromas do país. Clear The Rain é mesmo isso, permite usar os óculos de sol e disfrutar da praia como a primeira vez que lá fomos. É possível fruir desta mistura de batidas até Hunt You DownHurricane, que relaxa um bocadinho apesar do nome mostrar o oposto, antes de terminares com Take Me Dreaming … bem, que é exactamente aqui que vais dizer quando terminares de ouvir o álbum e rezares para não acordares.

Assim, não esperes pop ou dance music comercial! Espera sim um LP com sentimentos verdadeiros e uma viagem por sonhos. Desta forma, Indian Summer é capaz de  fazer mudar de opinião todos aqueles que são sempre cépticos sobre o facto de a música de dança valer a pena de ser comprada e escutada!

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 13:41

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


text me