Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



The Cardigans Rewinded

by perplex3r, em 15.03.08


(Português/Portuguese)
12 Anos já passaram desde a versão cinematográfica mais moderna de Romeu e Julieta de Baz Luhrmann, através do qual os Cardigans ficaram reconhecidos mundialmente com Lovefool. Agora, 6 álbums depois, chega-nos a compilação há muito esperada, o Best Of de uma das maiores exportações suecas, a juntar a Abba, Ace Of Base, Robyn e John Dählback. Embora esta não contenha nenhum tema novo é um must have, especialmente a edição especial que inclui raridades e b-sides. Ao todo são dois cd’s com um total de 46 temas que percorrem o pop, rock e indie no seu melhor, de uma banda que nunca copiou a sua sonoridade de álbum para álbum. Se nos primeiros álbuns tínhamos temas mais indie, com First Band On The Moon (1996), deparámo-nos com um álbum mais pop, que antecedeu Gran Turismo (1998), uma mistura de rock e electrónica, no qual saíram espectaculares e invulgares singles como Erase/Rewind e My Favourite Game. A legião de fans internacionais já era considerável e com Long Gone Before Daylight (2003) (o meu preferido, nº1 na Suécia e 2 vezes platina) temos uma banda que apostou em sonoridades mais acústicas, mais intimistas e mais próximas de um unplugged. Deste álbum saiu For What It’s Worth, cujo coelhinho no vídeo é tudo menos feliz, e o amor em forma de metáfora de guerra em You’re The Storm, no qual o verso I’m an angel bored like hell/you’re a devil meaning well é perfeitamente capaz de estar, ou ter estado presente, na nossa vida. Por último, o álbum que foi platina e nº1  na Suécia, Super Extra Gravity (2005) apresentou um single com um título peculiar e muitas vezes verdadeiro, I Need Some Fine Wine and You, You Need To Be Nicer, com influencias mais rock.
Desta forma, se não tiverem dinheiro, vendam aquelas compilações velhas sem interesse,pois o Best Of é aconselhável, já que encontram lá toda a história de uma das melhores bandas de sempre, cuja a vocalista Nina Persson é, a juntar a isto tudo, umas das vozes e das caras mais puras, mais bonitas e mais sexy no mundo musical.
5/5 - Cinco Sapinhos Alegres para esta compilação!
(English/Inglês)
12 years have passed by after the most modern version of Romeo & Juliet by Baz Luhrmann, through which the Cardigans became a well-known band with Lovefool. Now, 6 albums later, we have the long awaited Best Of compilation, from one of the best Swedish exports like Abba, Ace Of Base, Robyn and John Dählback. Although this it does not have any new song, it is a must have compilation, as the special edition contains an extra cd full of rarities and b-sides, i.e. two cd with 46 songs that go through pop, rock and indie, from a band that had a different sound on each album.  If on the first two albums one found more indie tracks, on First Band On The Moon (1996) one listened to some pop sounds, on Gran Turismo (1998) we had an electronic and rock album, from which two amazing and unusual singles were taken from: Erase/Rewind and My Favourite Game.
The fan base grew and with Long Gone Before Daylight (2003) (my favourite, nº1 in Sweden and 2x platinum), the band bet on a more acoustic and intimate sounds, sounding like an unplugged album. From this album, the two amazing singles were released: For What It’s Worth, whose bunny in the video is all but happy, and the war as metaphor for love in You’re The Storm, in which the verse I’m an angel bored like hell/you’re a devil meaning well can be prsent in our own life. Last, but not least, the nº1 platinum album Super Extra Gravity (2005) that presented a more rock sound with the peculiar title track I Need Some Fine Wine and You, You Need To Be Nicer.
In conclusion, if you don’t have money, sell those old compilations and buy this Best Of, in which you can find all the story from one of the best bands around, whose vocalist Nina Persson is one of the purest, beautiful and sexy voices and faces in music business.
5/5 – Five Happy Frogs out of 5 for this compilation.

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 19:36

No one can handle you Robyn!

by perplex3r, em 18.11.07

(Português/Portuguese)

Robyn está de volta com o segundo single (Handle Me) retirado do álbum homónimo (Robyn). Depois do mega sucesso e número um das tabelas de vendas do Reino Unido, With Every Heartbeat,Robyn mostra que está a revolucionar a música com um toque inconfundível de ironia neste que, mais uma vez, promete ser um sucesso inquestionável. A letra da música pode parecer egocêntrica, mas muito pelo contrário, se lhe atribuirmos outro sentido, reparámos que a questão de Handle Me não se prende apenas com "Eu sou melhor do que vocês", mas sim com questões de auto estima e de amor-próprio. Claro que dá muita energia e piada se lermos a letra apenas á luz do que ela apresenta: o "well connected guy" cujo poster anuncia que é "outrageous" (que pode ser qualquer artista de cliché hip hop).
Depois disto, ninguém pode questionar a versatilidade da menina que outrora foi a princessa da pop sueca e que agora, mais do que nunca, é o renascer de um estilo musical muito próprio e único. Back to Basic apresenta aqui as duas versões do vídeo de Handle Me: A primeira a versão muito crítica ao hip hop, e a segunda que continua a história do vídeo de With Every Heartbeat.

 (English/Inglês)

Robyn is back with her second single (Handle Me) taken from her self titled album Robyn. After the success and the number one UK single With Every Heartbeat, Robyn shows that she is here in order to cause fuzz in the music business with a touch of irony in this single that is condemned to success. The lyrics might sound a little bit egocentric, but if we give to it another meaning, we come to a conclusion that the main point in Handle Me is not “I’m better than you all”, but  self esteem. Of course, if we analyse the song just for what it is in the surface we find it funny and energetic: the “well connected guy” whose poster states that he is “outrageous” (any cliché on every hip hop artist).

After this, no one can question the versatility of the girl who was seen as the Swedish pop princess, and now has a very unique music style. Back to Basic presents here the two versions of Handle Me: The first one very critic towards hip hop, and the second continues the story of With Every Heartbeat.

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 13:28

 

(Português/Portuguese)

Estava eu a pesquisar sobre o que se anda a passar pelos Tops de Discos por essa Europa fora e deparei-me com o Número Um da semana passado no Reino Unido…Nada mais nem menos que o duo sueco Kleerup e Robyn com o single With Every Heartbeat. Esta menina, diria já senhora (apesar de usar o mesmo corte de cabelo ha 10 anos), que teve um pop hit em 1997 com Show Me Love (não confundir com o tema de 1993 Show Me Love remisturado por Stonebridge da americana Robin S) aventurou-se pela electrónica e pode-se dizer que não se saiu nada mal, pois este tema é bom (independentemente de estar a ser vendido como milho e muitos considerarem um tema para Tops), não só pela letra da música mas também pela sua sonoridade que é fantástica. Para além disso, tenho que bater palmas (Clap clap clap) passou à frente daquela salgalhada de música hip hop cá do bairro…feito algo inédito hoje em dia para uma música bastante diferente do mainstream.

Aconselho a ouvir com atenção (é capaz de não entrar logo ao ouvido, admito), mas como nem sempre queremos estar em chillout (apesar deste tema dar bem para isso)…esta pode ser a música que se vem a ouvir no carro depois de dançarmos até de manhã e já virmos a beber água desejosos por uma cama.Depois de ouvir...visitem o MySpace do Kleerup!


(English/Inglês)

I was researching the Top Selling Singles in Europe and I stood in front of last week's Number One in the U.K. … And who was behind this? The answer: the two Swedes - Kleerup and Robyn with the single With Every Heartbeat. This girl, or should I say lady (altough she has the same haircut for ages) who had a pop hit back in 1997 namely Show Me Love (do not be mistaken with Show Me Love remixed by Stonebridge in 1993 for the American singer Robin S) decided to explore the electronic sounds and she came off well, due to the fact that this song is good (even tough it sells like hot cakes, therefore some consider it a track for the Tops) not only because the lyrics are great but also because the melody itself is great too.I also have to clap my hands (Clap, Clap, Clap) because the single stood in front of the entire mainstream hip hop from the block…something amazing nowadays specially for a Number One who is not part of the mainstream.

I advise you to listen carefully (perhaps the song is not very catchy, I must admit), but we do not always want to chillout (although this song can be used for that too)…This can be the song that we listen to while we are driving home after dancing all night long, drinking water and dreaming of our bed.After listening visit Kleerup's MySpace!


Tracklist

1   With Every Heartbeat (4:06)
2   With Every Heartbeat (Meatboys Remix) (4:24)

3   With Every Heartbeat (Punks Jump Up Remix) (5:58)

4   With Every Heartbeat (Rory Phillips Remix) (6:07)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

published at 06:09

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


text me

back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!




Blogs Portugal

Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17

 

 




Tradutor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds