Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



HOW LONG will u wait 4 luv?

by perplex3r, em 02.04.17

I've been looking for you but every road that I choose, Leaves me further From your side 

Português / Portuguese
Se o mundo está cada vez mais próximo e as redes sociais a isso ajudaram, questionamos o seu papel na construcção das nossas relações. Quantos parágrafos conseguimos escrever sobre aquela fotografia com filtros especiais que usamos como apresentação,ou em aplicações como o Tinder? 
Já falámos sobre as sensações das manhãs (sozinhos ou acompanhados) com In the Morning mas com How Long questionamos a desorientação, o tempo e as formas de superar a perda, enquanto que o video nos mostra um dos caminhos que seguimos, numa panóplia de sites e apps em que buscamos conforto ou, até mesmo, a forma (mais simples?) de podermos (re)encontrar o que perdemos. 
Esta melodia electrónica tem, nada mais, nada menos, que 7 versões que se adaptam a vários momentos do teu dia. A versão original é bem contagiante para as manhãs, enquanto que as remisturas de Grant Nelson (que já remisturou o clássico Fade dos Solu Music) se adequa ao início das noites dos fins de semana, em que por entre cervejas e shots, descortinamos algumas paixões, sejam elas momentâneas ou não. Por último, para a madrugada, temos mixes de ATFC (conhecidos pelo tema Bad Habit com OnePhatDeeva e Lisa Millet) e de Alex Neri com GG Canu, que sobrepõem as batidas house a esta história triste e melâncólica. Talvez sejam estas últimas as mais propícias para um piscar de olho debaixo da bola de espelhos numa pista de dança. 
Em suma, pela voz de Sannie constatamos que a vida, tal como a música, é o espaço onde a letra,os sons e as sensações se misturam. Afinal, o ponto em comum nas remisturas deste single é a versão original, a partir da qual ouvimos uma progressão no groove e no bass. Assim, (re)encontrar alguém no Mundo (electrónico ou não) deve ter como ponto de partida mais ninguém a não seres Tu, único e com o hastag #nofilter, para depois remisturares a tua paixão com os teus únicos e genuínos sons!

 

English/Inglês
If the world is ever closer and the social networks have contributed to this, we question their role in the construction of our relations. How many paragraphs can we write about that photograph with special filters that we use as a presentation, or in applications like Tinder?
We have already talked about morning sensations (alone or with someone) with In the Morning but with How Long we question the disorientation, the time and the ways to overcome the loss, while the video shows us one of the paths that we follow, in a panoply of sites and apps in which we seek comfort or even the (simpler?) way of being able to find (again) what we have lost.
This electronic melody has, nothing more, nothing less, than 7 versions that adapt to various moments of your day. The original version is very contagious for the mornings, while the remixes of Grant Nelson (who already remixed the classic Fade of Solu Music) fit the beginning of the nights of the weekends, in which between beers and shots, we discovered some passions, momentary or not. Finally, towards dawn, we have ATFC mixes (known by the track  Bad Habit with OnePhatDeeva and Lisa Millet) and Alex Neri with GG Canu, which overlap house beats to this sad and melancholic story. Perhaps the latter are the most suitable for a blinking under the mirror ball on a dance floor.
In short, by the voice of Sannie we see that life, like music, is the space where the lyrics, the sounds and the sensations are mixed. After all, the point in common in the remixes of this single is the original version, from which we hear a progression in groove and bass. So, finding (again) someone in the world (electronic or not) should have as a starting point anyone else but You, unique and with the hastag #nofilter, for you to later remix your passion with your unique and genuine sounds!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

robyn is back (with) honey!

by perplex3r, em 29.03.17

It wasn’t ready to be released, but I finished this version for her and Girls(..)

Português / Portuguese
A 20.08.07 Robyn teve direito ao seu primeiro post neste blog, quando conquistou o primeiro lugar da tabela de singles do Reino Unido com With Every Heartbeat e agora, dez anos depois, é com toda aquela alegria que descobrimos que um novo álbum se avizinha para 2017. 

Robyn começou nos finais da década de 90 com melodias bem pop  e após tomar rédeas da sua carreira e tornar-se independente, devido a diferenças com a sua editora, a sua  criatividade mostrou-se sem limites. Para alegria geral, essas aventuras percorrem versões não só acústicas, mas também electrónicas e bem dançáveis juntamente colaborações com Röyksopp, Snoop Dog e Kleerup.
It wasn’t ready to be released, but I finished this version for her and Girls publicou Robyn sobre a escolha da produtora da série Girls Lena Dunham, pois esta última seleccionou este tema estando o mesmo ainda por terminar de forma a que surgisse no último episódio.
O follow up da trilogia Body Talk de 2010 inspira complexidade e melancolia, estando já a demonstrar a capacidade introspectiva, e por vezes fatalista de Robyn, tal como nos temas With Every Heartbeat, Eclipse e Hang With Me. É com a frase You're not gonna get what you need, But baby I have what you want que termina este pequeno excerto, o que nos leva a questionar se no presente capítulo do nosso livro sabemos a diferença e/ou se estamos a repetir o mesmo erro do passado. No que respeita à sonoridade desta faixa, os ritmos electrónicos perduram e embora se possam assemelhar ao anterior álbum, ainda é muito prematuro descortinar por que caminhos se foi construindo um dos álbums há muito esperados. Por isso, após ouvirem um pouco do que está para vir, podem sempre (re)descobrir Robyn por aqui
!

English / Inglês 
A 20.08.07 Robyn was entitled to her first post on this blog when she reached number one in the UK singles chart with With Every Heartbeat and now, ten years later, it is with all the joy that we discover that a new album is coming in 2017.
Robyn began in the late 90s with true pop tunes and after taking over her career and becoming independent, due to differences with her own record company, her creativity proved to be without limits. For general joy, the adventures run not only through acoustic sounds but also electronic and dance versions along with collaborations with Röyksopp, Snoop Dog and Kleerup.
It wasn’t ready to be released, but I finished this version for her and Girls published Robyn on the choice of the producer of the series Girls Lena Dunham, as she has selected this unfinished song in order for it to appear in the last episode of the series.
The follow-up to the 2010 Body Talk trilogy inspires complexity and melancholy, already demonstrating an introspective and sometimes fatalistic side of Robyn, as in the songs With Each Heartbeat, Eclipse and Hang With Me.It's with the phrase You will not get what You need to, But baby, I have what you want that  this little excerpt finished, which leads us to wonder if in this chapter of our book you know  the difference and / or if we repeat the same mistake of the past. As far as the sound of this track is concerned, the electronic rhythms remain and although they resemble the previous album, it is still very premature to discover through which paths  one of the long awaited albums has been build upon. So, after listing a bit what is about what to come, you can always (re)discover Robyn here!

Autoria e outros dados (tags, etc)

voltámos ao nosso 2raumwohnung!

by perplex3r, em 24.03.17

Português / Portuguese
Em 2017 voltamos ao nosso pequeno e aconchegante T2 perto do Tiergarten, em alemão 2Raumwohnung, para nos voltarmos a apaixonar. Esta banda alemã, uma presença habitual neste blog, composta por Inga Humpe e Tommi Eckart, volta este ano com o bilingue Somebody Lonely and Me e com um duplo álbum a ser editado em junho.
O primeiro single é uma ode à introspecção, às questões do coração, àqueles pequenos momentos de solidão em que o Amor ainda não surgiu ou que, mesmo que ele já esteja mesmo à nossa frente, não o vemos. Seja porque não temos os olhos bem abertos ou porque, simplesmente, ainda estamos demasiado fechados nesta imensa escuridão. Where is the face I want to see forever? questiona Inga, uma vez que neste mundo escuro a alegria de um encontro com o nosso amor pode parecer (im)possível.
Editado em duas versões Tag e Nacht (vídeo), dia e noite respectivamente, temos aqui dois momentos introspectivos que vão fazer o teu leitor estar em alta rotação. Se ambas as versões são demasiado melancólicas para ti, acabam de ser editadas 4 remisturas bem alternativas por Ricardo Villalobos, DJ Koze e Chi Thanh que (des)constroem a mensagem desta canção.
A música é universal, e embora muitos pensem que a língua alemã é fria, esqueçam isso, temos aqui uma voz demasiado doce para o tema que é a solidão.

English / Inglês
In 2017 we are back in our small and cozy two-bedroom flat near the Tiergarten, in German 2Raumwohnung, to fall in love again. This German band, an usual presence here in this blog, comprised by Inge Humpe and Tommi Eckart, is back this year with the bilingual Somebody Lonely and Me and with a double album to be released in July.
The first single is an ode to introspection, to the questions of the heart, to those short moments of loneliness in which Love hasn’t showed up yet or, even if it is right in front of us, we cannot see it. This is either because we do not have our eyes wide open or simply because we are so closed in this vast darkness. Where is the face I want to see forever? asks Inge, as in this dark world the joy of a date with our love may sound (im)possible.

Released in two versions Tag and Nacht (video), day and night respectively, we have here two introspective moments that will put your player on heavy rotation. If both versions are too much melancholic for you, 4 new and alternative remixes by Ricardo Villalobos, DJ Koze and Chi Thanh have just been released (de)constructing  the message of this song.
Music is universal and although many people think the German language as cold, forget that, what we have here is a voice that is too sweet for the theme that is loneliness.

Autoria e outros dados (tags, etc)

(Português/Portuguese)

É verdade, há tantos sentimentos bonitos, alegres e tristes que sentimos ao longo deste verão, ao ladinho do nosso summer love…mas não pode ele crescer? Não pode ele chegar ao calor da lareira deste Inverno? Pode.
Because It’s Not Love (But It’s Still a Feeling) não significa que ele não possa crescer, não quer dizer que aquela paixão não se transforme em amor. É isso mesmo que as britânicas The Pipettes nos apresentam neste fabuloso vídeo, um tanto ao quanto jeito de anos 60,como Sonny J e Frankie Vallie, com cores garridas, danças iguais às dos nossos pais acompanhadas por uma melodia bem alegre, que é capaz de nos deixar ir, sem qualquer problema, ao encontro daquilo que sentimos. Com um álbum We Are The Pipettes e com dois Ep’s, incluindo o fabuloso EP Your Kisses Are Wasted On Me a banda tem provado que, ao longo do tempo, ir buscar inspiração àquilo que estava a ganhar mofo no nosso sótão pode ser muito produtivo.
Assim, vale bem a pena pensar que se Your Kisses Are Wasted On Me pode ser que este Feeling, mais tarde, venha a ser o nosso summer love que perdurará pelo Inverno.
 

(English/Inglês)

It is true that there are a lot of beautiful, happy and sad feelings that we all feel during this summer, next to our summer love…but can’t he grow? Can’t he go through the cold nights next to the fireplace? Yes, it can.
Because It’s Not Love (But It’s Still A Feeling) does not mean that it can’t grow and not turn this passion into love. That’s exactly what the British band The Pipettes presents us in this fabulous video, a little bit with 60’s style,like Sonny J and Frankie Valli, gaudy colours, and moves like our parents did years ago, together with a happy melody that can frees us to find what we feel. With the album We Are The Pipettes and two EP’s, including the great EP Your Kisses Are Wasted One Me, the band proves that sweeping through the old stuff in our attic can become fruitful.
Therefore, one should think that if Your Kisses Are Wasted On Me this Feeling can, later one, be our summer love that last until Winter.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 (Português/Portuguese)

Na Big Apple surge Hercules & Love Affair que bem poderia ser o título de um novo e aborrecido filme sobre esta personagem da mitologia, mas não é, muito pelo contrário, irá tornar-se sim num dos projectos míticos que surge em 2008.
O projecto é da responsabilidade do dj e produtor Andrew Butler que chamou, nada mais nada menos que Antony Hegarty, dos Antony & The Johnsons, ainda Nomi, Kim Ann e Tim Goldsworhty dos LCD Soundsystem para oferecer no álbum homónimo uma mistura contagiante de house e disco com vozes melodiosas e estranhas, causando um orgasmo psicológico prolongado aos amantes de electrónica. Resultado, o álbum atingiu o Top 40 em vários países Europeus e o primeiro single Blind chegou mesmo a Top 20 na Bélgica.
Assim, este êxtase e esplendor promete continuar a provocar sensações corporais em todos os locais em que será possível ouvir Blind em alto e bom som, pois a crítica é unânime ao afirmar que estamos perante um som, que embora tenha influências do passado, é fresco, renovado e inédito.
Sendo já um dos Refrescos Musicais de 2008, será Hercules capaz de levantar a montanha e elevar a música electrónica ao topo do Mundo, onde ela merece ficar? Mitologia à parte, é possível desfrutar o vídeo de Blind, que oferece Roma em todo o seu esplendor e, em seguida, ter acesso a um tema exclusivo e gratuito (para tal só é preciso subscrever a newsletter aqui).

(English/Inglês)
In the Big Apple appears Hercules & Love Affair, which could have been the name of a new and boring film about this mythological character, but instead it is one project of 2008 that will become mythical.
The men behind this project is the dj and producer Andrew Butler, who joined Antony Hegarty, from the band Antony & The Johnsons, Nomi, Kim Ann and Tim Goldsworthy, from LCD Soundsystem, in order to offer us in the self titled album a contagious mixture of house and disco, together with melodic and weird voices, so that all electronica fans would enjoy an amazing psychological orgasm. As a result, the album reached Top 40 in several European countries and the debut single Blind entered Top 20 in Belgium.
In this way, all this ecstasy and splendour promises to cause more of these sensations every time Blind is played loud, as the critics are unanimous in saying that we are in front of a sound that is fresh, improved and unique.
Being one of the Musical Refreshments of 2008, will Hercules be able to lift the mountain and put the electronica sound on the top of the World as it should be? Leaving the mythology aside, it is possible to watch Blind that shows Rome in all of its splendour and, afterwards, have access to a free and exclusive track (subscribe a newsletter is needed here).
 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!


Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17

 

 





subscrever feeds