Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Português / Portuguese
Nas ruas menos povoadas de turistas e da azáfama de um feriado de Páscoa, encontramos uma esplanada acolhedora, onde uma árvore bem grande nos protege dos raios de sol que estão a brilhar intensamente. São quase 6 da tarde e pedimos uma margarita para refrescar ... afinal, sentimos que estamos num dia de Verão. Reparo que os teus lábios ficam mais brilhantes cada vez que elevas o copo e, por isso, fico a olhar para ti fixamente. Gosto de te ver corar cada vez que te elogio, que me batas no ombro para parar cada vez que digo, maliciosamente, dá-me um beijo e em seguida trinco o lábio.
Por isso mesmo, a frase presente neste single it feels so classic / you and me the magic se aplica tão bem. Estamos dentro de um momento mágico, assim como este momento musical que a colaboração dos The Knocks e Powers nos trazem, em que misturam electrónica, nu-disco e EDM de forma original com um travo a clássico pop. Oriundos do outro lado do Atlântico, esta dupla já colaborou com Mathew Koma, Wyclef Jean dos Fugees e com a banda rock Walk The Moon. Classic, que lembra Steal My Sunshine de Len, foi editado como o primeiro single do álbum 55 de 2016 e conta com algumas remisturas, sendo de destacar a versão original do álbum (claro está!), a Sunset Version que retira o ritmo alegre da música e atribui-lhe características mais chillout, que torna necessário adicionar uns mergulhos, uma praia e uns amigos para se poder ouvir e, por último, a versão que adiciona os vocais masculinos mais em estilo rap de Fetty Wap, que mantendo Crista Ru pelo refrão, tranforma a canção mais própria para um estilo mais urbano e mais relaxado.
Qualquer uma destas versão conduz apenas a uma coisa ... ainda vamos na nossa terceira bebida e a nossa noite está bem longe de terminar, mas não percamos tempo:  Come to Me Baby, Don't Be Shy ... Beija-me (Já)!
Feliz Páscoa a todos! Que escrevas histórias únicas no teu livro, porque a banda sonora podes encontrar aqui no blog (ou subscrever a Playlist do Spotify!)


English / Inglês
In the less crowded streets of tourists and the hustle and bustle of an Easter holiday, we find a cozy terrace where a very large tree protects us from the rays of the sun that are shining brightly. It's almost 6 in the afternoon and we ordered a margarita to refresh ourselves ... after all, we feel like it's a summer day. I notice that your lips look brighter every time you lift the glass, so I look at you fixedly. I like to see you blushing every time I praise you, when you touch me on the shoulder to stop every time I say, maliciously, give me a kiss and then I bite my lip.
For this very reason, it seems that the sentence  it feels so classic / you and me the magic present on the single applies so well. We're in for a magical moment, just like this musical moment that the collaboration between The Knocks and Powers brings to us, in which they mix electronic, nu-disco and EDM in an original way with a classic pop feeling. Coming from the other side of the  Atlantic, this duo has collaborated with Mathew Koma, Wyclef Jean of the Fugees and with the rock band Walk The Moon. Classic, which reminds Steal My Sunshine by Len, was released as the first single from the 2016 album 55 and features a few remixes, as we stand out the original version of the album (of course!), the Sunset Version that takes the joyful rhythm of the song and adds more chillout features, which makes it necessary to add a dive in the sea, a beach and friends so that we are able to enjoy it to its fullest, and finally a version that features the male rap style of Fetty Wap, which keeps Crista's vocals on the chorus, but turns the song more appropriate for a more urban and chillout style.
All of these versions lead to one thing ... we are only drinking our third drink and our evening has just started, so let's not waste more time: Come to Me baby, don't be shy ... Kiss me (Now)!
Happy Easter everyone! Hope you write unique stories on your book, because the soundtrack you can find here on the blog (or subscribe the Spotify Playlist!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

electrcidade94cassette.jpg

Português/Portuguese
Hoje arrumamos o quarto e retiramos aquela caixa escondida ... (re)descobrimos que podemos sintonizar a 107.2 aka Rádio Cidade (mais tarde Cidade FM) e ouvir em fita de crómio. Esta era a rádio que acompanhou a adolescência da geração dos anos 90, com jingles inimaginavéis e programas diversificados e divertidos. Afinal, quantos é que esperavam com a cassete pronta na aparelhagem para gravar um desses programas?

Electricidade era um dos que se ouvia religiosamente, à espera das músicas de dança mais cool, que estavam nos Tops Internacionais e que iriam alegrar a nossa tarde. Aliás, o programa foi tão famoso que teve a sua primeira compilação em 94 (em CD, Cassete e Vinil) a atingir o primeiro lugar do Top de vendas em Portugal, e as seguintes editadas até 2004. À hora certa, ouvíamos o raio electrico e o famoso “Ahhh Electricidade” e sabíamos que íamos ouvir Rhythm Of The Night (Corona), Saturday Night (Whigfield), Luv 4 Luv (Robin S) ou Let The Beat Control Your Body (2 Unlimited) ... qualidade musical ou não, isso é irrelevante. Aliás, os bons momentos que estas compilações trouxeram em bailes de garagem e festas na escola são, por si só, memórias a guardar e que vamos poder recordar em Love The 90s agora em Maio.
Provavelmente, vais espirrar com o pó deste post e ver que o (Novo) Acordo Ortográfico ficou deveras nervoso .... mas afinal, é não é um #throwbackthursday?

Viaja no tempo ... Carrega Play!

 

English/Inglês
Today we tidy the room and take out that hidden box ... we find out (again) that we can almost tune in to 107.2 aka Rádio Cidade (later Cidade FM) and listen to music on a chromium tape. This was the radio station that accompanied Portuguese teenagers in the 1990s, with unimaginable jingles and diversified and entertaining programs. After all, how many of you were waiting but ready to record them?

Electricidade was one of those programs we listened religiously, waiting for the dance songs that were in the International Charts and that would brighten up our afternoon. In fact, the program was so famous that it had its first compilation in 94 (on CD, Cassette and Vinyl) to reach the first place of the Sales Charts in Portugal, and the following ones were released until 2004. At the right time, we would listen to the electric ray and the famous "Ahhh Electricidade" and we knew we were going to listen to Rhythm Of The Night (Corona), Saturday Night (Whigfield), Luv 4 Luv (Robin S) or Let The Beat Control Your Body (2 Unlimited) ... music quality aside, as it is irrelevant. In fact, the good times that these compilations have brought in garage balls and school parties are, by themselves, memories to keep and we are going to revive in Love The 90s in May.
You will probably sneeze with the dust that this post brings and see that the (New) Spelling Agreement got really nervous .... but after all, is it not a #throwbackthursday?
Travel in time ... Press Play!
(Translation note: Electricidade now written as Eletricidade)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

we AIN'T GIVING UP on love!

by perplex3r, em 12.04.17

source: Digital Spy UK

Português / Portuguese
Nas relações descartáveis que temos, ou pelo menos, que dizem que temos, entramos a 100% ou então devagar, não vá essa paixão nos espetar na primeira parede que nos aparece à frente. Seja de uma maneira, ou de outra, muitas vezes afirmamos que os defeitos de quem está ao nosso lado, não só nos repela, como também nos faz querer afastar e, muitas vezes, crer que não estamos destinados um ao outro. Não será o contrário? Não serão esses supostos "defeitos" pelos quais nos devemos apaixonar, já que a simpatia, a corpo e o sentido de humor derretem o coração de qualquer um?
Dúvidas, personalidade e relações à parte, Ain't Giving Up traz-nos certezas ao nos dizer que mesmo que esse percurso a dois seja difícil ou, à partida, não esteja a correr da melhor maneira, não devemos desistir se esse amor realmente existe. Se não quisermos ser tão minuciosos na leitura deste single,afirmamos que Craig David com Following My Intuition, dezasseis anos depois de Born To Do It e da mistura de UK Garage e R'N'B despretensioso, está de volta e cheio de força (não tivesse o seu álbum atingido o nº 1 da UK Album Chart). Ain't Giving Up com Sigala traz-nos uns agradáveis vocais com umas batidas bem fescas para os dias quentes. Para além disso, o Remix EP só nos faz querer ouvir ainda mais, uma vez que Wide Awake nos prepara uma festa EDM, White N3rd nos faz recuar no tempo e sentir que ouvimos Artful Dodger em 2017, Tone reconstrói e oferece um r'n'b próximo do single Rendez-Vous e Freejack quase que faz um mashup desta faixa com Show Me Love de Robin S, Laidback Luke e Steve Angello.
Assim, tal como esta edição,sê criativo, mistura e remistura, não cries expectativas, partilha, aprende, muda e não desistas. Afinal, a (tua) vida, as paixões e os amores são sempre uma aprendizagem porque nunca, e por mais que aches o contrário, vais crescer se desistires!

English / Inglês
In the disposable relationships that we have, or at least we are said to have, we enter them 100% or slowly, as we do not want that passion to drive us against a wall. Either one way or the other, we often affirm that the flaws of those around us not only repel us, but also make us want to turn away and often believe that we are not meant to be. Is it not the other way around? Aren’t these supposed "flaws" for which we should fall in love with, since affection, body and sense of humor melt anyone’s heart?
Doubts, personality and relationships aside, Ain’t Giving Up brings us certainty by telling us that even if this two-way journey is difficult or, for starters, is not going well, we should not give up if there is love. If we do not want to be so thorough in reading this single, we say that Craig David with Following My Intuition, sixteen years after Born To Do It and the mix of UK Garage and unpretentious R'N'B, is back and full of strength (as his album hit # 1 on the UK Album Chart). Ain’t Giving Up with Sigala brings us some nice vocals with some really good beats for hot days. In addition, the Remix EP just makes us want to hear even more, since Wide Awake prepares us for an EDM party, White N3rd takes us back in time and we feel we are listening to Artful Dodger in 2017, Tone rebuilds it and offers r'n'b similar to the single Rendez-Vous and Freejack almost makes a mashup of this track with Show Me Love by Robin S, Laidback Luke and Steve Angello.
So, like this edition, be creative, mix and remix, do not create expectations, share, learn, change and do not give up. After all, (your) life, passions and love are always a learning process as you will never grow up if you give up, even if you believe otherwise.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

TESTIFY love on a hot spring day!

by perplex3r, em 10.04.17

hifi sean feat. crystal waters

Tell me why I need your love // why I got to have your love
Justify your love // Make me a believer

Português / Portuguese
Todos os dias questionas! Questionas o teu dia, o que acreditas, as palavras que te dizem e o porquê de certas atitudes tuas e dos outros. Serão, algumas dessas perguntas, que este tema, que mistura gospel com um house bem alegre, nos traz para estes dias quentes de primavera.
Considerada pela Billboard como a 39º Most Successfull Dance Artist of All Time, a americana Crystal Waters dá a voz ao single Testify do álbum Ft do britânico Hifi Sean, a voz que já nos fez conhecer problemas sociais com Gypsy Woman, deixar a cidade poluída para trás e segui-la para Destination Calabria (com Alex Gaudino) ou até mesmo cantarolar um amor bem ardente com 100% Pure Love. Para além da sua voz única, Crystal, juntamente com Sean Dickson, mostra mais uma vez a sua capacidade como letrista e contribui para a desmitificação da música de dança que é, muitas vezes, vista como fútil e sem sentido, aliás 6 ASCAP Songwriter Awards são a prova disso.
Se por acaso queres emergir em águas mais electrónicas e exorcisar os teus demónios num dancefloor cheio de cores e lasers, existe a remistura de Superchumbo (Tom Stephan) que dá ao tema um boost energético, repleto de batidas sincopadas e  um sabor mais latino. O remix package ainda inclui a excelente versão extended e a remistura de Steve Mac, que tendo “tell me why I need your love /why I got to have your love” em loop com batidas house nos afasta do momento gospel, mas que nos aproxima das margens bem mais próprias para as 5 da manhã numa discoteca.
Assim, Testify faz-nos questionar o que acreditamos quando algo ou alguém vem e mexe no nosso mundo de crenças, mas acima de tudo, faz-nos lembrar que devemos (sempre?) estar abertos a todas a possibilidades e aceitar todas as experiências que se deparam à nossa frente ... afinal, a vida e o amor não são isso mesmo?

English / Inglês
Everyday you question yourself! You question your day, what you believe, the words that are told to you, and the reason certain actions of yourself and others. These are some of the questions, that this track, which mixes gospel with a very cheerful house, brings us on these hot spring days.
Considered by Billboard as the 39th Most Successful Dance Artist of All Time, the American Crystal Waters gives voice to the single Testify of the album Ft of the British Hifi Sean, the voice that already made us know social problems with Gypsy Woman, leave the polluted city and follow her to Destination Calabria (with Alex Gaudino) or even hum a blazing love with 100% Pure Love. In addition to her unique voice, Crystal, along with Sean Dickson, shows us once again her ability as a writer and contributes to the demystification of dance music that is often seen as futile and meaningless, in fact 6 ASCAP Songwriter Awards are proof of this.
If you want to emerge in more electronic waters and exorcise your demons in a dancefloor full of colors and lasers, there is the remix of Superchumbo (Tom Stephan) that gives the track an energetic boost, full of syncopated beats and a more latin flavor. The remix package also includes the excellent extended version and the remix of Steve Mac, which has  "tell me why I need your love / why I got to have your love" in loop with house beats moves us away from the gospel moment, but  brings us closer to  much more proper shores at 5 a.m. in a club.
Thus, Testify makes us question what we believe when something or someone comes and moves in our world of beliefs, but above all, reminds us that we must (always?) Be open to all possibilities and accept all the experiences we have in front of us ... after all, aren´t life and love made of that?

Autoria e outros dados (tags, etc)

WHAT IS LOVE ... the eternal question!

by perplex3r, em 05.04.17



Português / Portuguese 
What is Love é, provavelmente, a questão que percorre várias páginas dos nossos livros, às vezes em capítulos pequenos ou extensos, por vezes bem alegres ou tristes ... afinal, tantos anos depois, podemos ainda e sempre (?) questionar o que é o Amor, ou não? Desde os momentos em que nos apaixonámos e roubámos um beijo pela primeira vez no jardim de infância, sem saber muito bem o que eram aquelas borboletas na barriga à altura, bem mais tarde, em que as mesmas se juntam à admiração, ao desejo do corpo, à construção de uma relação (seja ela do tipo que for).
Em 1993, na versão eurodance de Haddaway tivémos a hipótese de perguntar com uma certa alegria mas agora Lost Frequencies revisita o tema de forma bem mais introspectiva, tornando o single do álbum Less is More ajustado para os fins de tarde um pouco mais quentes em que percorremos, sozinhos, os vários quilómetros dos passadiços das praias de Gaia e vamos, pontualmente, vendo caras alegres, cansadas e sorridentes. Existem ainda remisturas de Demitri Vegas e Like Mike, que são apenas próprias para festas EDM, de Rose (adicionada à playlist do Spotify) e Zonderling em que ambas adicionam um feeling bem mais próximo de classic house, fazendo com que estas questões filosóficas se tornem bem mais aprazivéis com um Martini Bianco bem gelado e amigos à nossa volta.
O vídeo, esse, mostra o amor que temos pelo desporto e por aqueles que estão ao nosso lado sempre que algo corre menos bem e que nos fazem, de uma certa forma, encontrar algumas respostas possíveis para esta pergunta. Por isso, 23 anos após a edição da primeira versão, mesmo com outra mistura electrónica e dançável, ainda estamos baralhados com todos os caminhos que esta pergunta nos leva ... Assim, só nos resta percorrer um por um com esta música, em busca de uma (qualquer) conclusão. Podes ouvir, já na playlist do blog!

English / Inglês
What is Love is probably the question that goes through several pages of our books, sometimes in short or long chapters, sometimes very happy or sad ... after all, so many years later, we can still and always (?) question what love is, can't we? From the moments when we fell in love and stole a kiss for the first time in the kindergarten, not knowing very well what those butterflies in the belly meant to the the time,years later, when they join the admiration, the desire of the body, the conception of a relationship (whatever it may be).
In 1993, in the eurodance version by Haddaway we had the chance to ask with some joy but now Lost Frequencies revisits the theme in a much more introspective way, making the single from the album Less is More tuned for little warmer afternoons when we travel, alone, through the several kilometers of the walkways on the beaches of Gaia and we, once in a while, see joyful, tired and smiling faces. There are also remixes of Demitri Vegas and Like Mike, which are just suitable for EDM parties, by Rose (added to the Spotify playlist) and Zonderling in which both add a feeling much closer to classic house, making these philosophical questions become much more enjoyable with a chilled Martini Bianco and friends around us.
The video shows the love we have for sports and those who are by our side whenever something goes wrong and that lead us, in a way, to find some possible answers to this question. So, 23 years after the release of the first version, even with another electronic and danceable mixture, we are still shuffled with all the paths that this question takes us ... So, we only have to go one by one with this song, in search of a(ny) conclusion!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!


Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17