Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Robyn (vs. or with) Madonna? (You choose!)

by perplex3r, em 18.06.08

 

(Português/Portuguese)

Sim, é verdade, esta é uma batalha de originalidade que se vai estender na nova Tour de Madonna…quem vai fazer o aquecimento será a sueca Robyn que, pelo menos cá em Portugal, terá a oportunidade de se dar a conhecer melhor, uma vez que as suas canções que por tantas rádios europeias passam parecem cá ser negligenciadas.
Posto isto, mais uma coisa é capaz de intrigar qualquer um, é que o álbum Robyn é já considerado por muitos um dos melhores álbuns de 2007, quer a nível instrumental, melódico, lírico, electrónico…e data de 2005. Ora, se a rainha da pop apresenta um álbum estilo Nelly Furtado (sim, sim é o que se diz por aí!), pergunta-se quem poderá oferecer um Candy aqui ao pessoal! Contudo, e tendo já visto Miss Madonna ao vivo, é óbvio, e não valerá a pena enumerar factores, que esta última irá ofuscar qualquer um no exacto momento em que surgir no palco.
Para todos aqueles que, para além de Madonna em versão Timbaland, apreciam a fantástica Robyn, aqui fica a lista dos concertos e, claro está, um dos singles mais loucos retirados do álbum Robyn: Konichiwa Bitches! Mair Robyn aqui (claro!!!)

 

(English/Inglês)

Yes, it is true; the battle for originality will be extended during Madonna’s new Tour…who will do the warm up will be the Swedish singer Robyn that will get the chance to let other people know her songs, as they are rather unknown here in Portugal.
After this, one more thing can intrigue some people, as Robyn’s latest album is considered to be one of the best albums of 2007, as far as music, lyrics, sound are concerned…and is from 2005. Well, if the queen of pop presents an album similar to Nelly Furtado (yes, yes that is what has been said about it!), one can ask who will offer a Candy to us! However, and having already seen Miss Madonna live, it is obvious that she will stun everyone, and one does not need to tell why.
For those who like Madonna in a Timbaland version but prefer Robyn, here is the list of the concerts and, of course, one of the craziest singles taken from the album Robyn: Knochiwa Bitches! For more Robyn check here (of course!)

 

 

26-August Nice: Stade Charles Ehrmann
28-August Berlin: Olympic Stadium
30-August Zurich: Military Airfield Dubendorf
02-September Amsterdam: Arena
04-September Dusseldorf: LTU Arena
09-September Frankfurt: Commerzbank Arena
14-September Lisbon: Parque da Bela Vista
23-September Vienna: Danube Island
27-September Athens: Olympic Stadium

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Same Old Brand New (Heavies)!

by perplex3r, em 12.06.08


(Português/Portuguese

Dream On, Dreamer dizia N’Dea Davenport em 1994 no momento em que o acid –jazz desfrutava de uma grande legião de fans, muitos por os Brand New Heavies o trazerem para a ribalta, anos depois de Soul II Soul.

Formados inicialmente em 1985 por Jan Kinkaid, Simon Bartholomew e Andrew Levy, conheceram o sucesso em 1990 com o seu álbum homónimo e com o single Got To Give na voz de Jay Ella Ruth. Posteriormente, conquistaram a Europa e os Estados Unidos com a voz de N’Dea, com o fantástico álbum Brother Sister (Platina) e os  singles Dream On Dreamer e Midnight At The Oasis, um cover de Maria Muldaur.
Após a saída de N’Dea, a banda prosseguiu com Siedah Garreth como a nova vocalista no álbum Shelter, e com quem ficámos a conhecer o fabuloso You Are The Universe, com remisturas de Roger Sanchez e Curtis & Moore, e maravilhoso You’ve Got a Friend.
N’Dea está de volta e depois de uma colectânea de êxitos, em 2006 foi lançado o álbum Get Used To It, cujo título diz tudo, estamos habituados já a uma voz fantástica, a temas bem dispostos, mas não superficiais…serão esses momentos que os Brand New Heavies nos irão proporcionar em Julho no Super Bock Super Rock.
Para aguçar o apetite, aqui fica a lembrança do vídeo de Dream On Dreamer e, graças à banda, um concerto para desfrutar antes de os verem ao vivo…
 
(English/Inglês)
Dream On, Dreamer was N’Dea Davenport saying back in 1994 when acid jazz was gaining a lot of fans, thanks to The Brand New Heavies for bringing it to the limelight years after Soul II Soul.
Formed in 1985 by Jan Kinkaid, Simon Bartholomew and Andrew Levy, they achieved success with their self-titled album and with the single Got To Give with the voice of Jay Ella Ruth. Afterwards, they conquered Europe and the United States with N’Dea’s voice with the fantastic platinum album Brother Sister together with the singles Dream On Dreamer and Midnight At The Oasis, a cover of Maria Muldaur.
After that N’Dea left, but Sieadah Garreth joined the band for the album Shelter, from which one got to know the fantastic You Are The Universe, remixed by Roger Sanchez and Curties & Moore, and the fabulous You’ve Got A Friend.
N’Dea is back and, after a best of compilation, in 2006 the album Get Used To It was released, and the title says everything as we are used to a fantastic voice and happy but not superficial songs…those will be the moments that The Brand New Heavies will present us in July at Super Bock Super Rock.
In order to tease a little bit, here you have a video of Dream On Dreamer to remember and, thanks to the band, a full concert to amuse yourself before seeing them live…

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Party @ Cais

by perplex3r, em 21.04.08

 

(Português/Portuguese)

No mês das águas mil temos programa variado em Gaia durante esta semana. Se não sabias o que fazer, a Festa Da Cultura oferece uma variedade de actividades: para os apaixonados pela música que o tempo levou, há uma feira de vinil bastante interessante, uma vez que que os preços mais baixos rondam os 2 €, e de adereços como roupa, por exemplo; para os que querem dançar e beber um copo, vai ser possível fazê-lo na tenda montada no Cais, onde festas dedicadas aos anos 90 e aos 60's e 70's irão ser, certamente, um ponto de passagem obrigatório. Claro que há sempre aqueles para quem a música não é tudo e, por isso mesmo, podem ainda assistir a peças de teatro, de dança, aliás o Dia Mundial da Dança comemora-se dia 29 de Abril, e outro eventos relacionados com a literatura.
Assim, vemo-nos esta 5a feira na festa Flower Power! Até lá, se querem informação mais pormenorizada podem saber mais
aqui.

Lema da semana: Deejay, spin that wheel!

 

(English/Inglês)

In the month when it usually rains a lot, one can find an interesting program to do this week in Gaia (Porto, Portugal). If you didn’t know what to do, the Festa da Cultura offers you a variety of activities: for all music lovers that still like the sounds that were gone with the wind, they can go to the vinyl market, where the prices of the vinyl’s start at 2€, and also find there clothes; for those who like to dance a drink a little bit, they can go to tent placed at Cais for the 90’s, 60’s and 70’s party. Also, if you don’t want only go there for the music, you can watch some plays, dance exhibitions, the International Day of Dance is on April the 29th, or go to other events related to literature.
Therefore, see you this Thursday at the Flower Power party. Until then, you can find more information
here.
This week’s motto: Deejay, spin that wheel!

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Great & Optimus Concert, Roberta!

by perplex3r, em 06.04.08
(Português/Portuguese)
Sem expectativas, sem ideias pré-concebidas e com curiosidade que fui ao Cinema Batalha (Porto) assistir a um concerto@optimus, nomeadamente o de Roberta Sá, desconhecido para muitos (eu inclusive), até porque o PMB por vezes deixa muito a desejar. Surpreendentemente, pode-se afirmar Que Belo Estranho Dia Para Se Ter Alegria, pois Roberta é das melhores revelações brasileiras dos últimos tempos, uma vez que aquelas cantorias muitas vezes irritantes aqui não existem, e o que se vê e o que se ouve é uma voz bonita, encantadora que, embora não comunique muito com o público, o consegue transformar e fazer sentir as canções bem conseguidas, com arranjos de mais variadas influências e cheias de pormenores interessantes. Estivemos assim perante um palco que encheu os olhos a quem decidiu aparecer, e, embora a música estivesse num bom nível e a beleza de Roberta fosse cativante jeito de menina sorridente, no que diz respeito ao público, esse não se mostrava muito animado (se calhar, ver um concerto sentado não ajuda!).
Apresentando temas dos seus dois álbuns (Braseiro e Que Belo Estranho Dia Para Se Ter Alegria), o Cinema Batalha encheu-se de sorrisos, de aplausos, de movimentos lentos mas que acompanhavam perfeitamente cada batida, cada som que saía do cavaquinho, cada palavra feliz e triste que formava a letra das canções e, acima de tudo, que combinavam na melhor forma com o vestido cheio de pássaros e flores que abanava no palco sempre que seguia os movimentos dos braços de Roberta. Assim, destacaram-se Fogo e Gasolina, um jogo de antónimos sobre uma paixão ardente, Belo Estranho Dia de Manhã, onde um mundo caótico é perfeito para dois amantes estarem juntos (e de onde saiu o título do álbum), Laranjeira e Samba de Amor e Ódio que pediram para dançar como Suba no tema Samba de Gringo Paulista.
Consequentemente, nem mesmo com uns pequenos problemas técnicos que surgiram já no final foi possível não ouvir e observar atentamente a menina que perfeitamente podia ter saído do Sítio do Pica-Pau Amarelo e que, sem sombra de dúvida, marcou da melhor forma o início do mês das águas mil.
Conselho da Semana: Se ganhares bilhetes e não sabes se deves ir, vai! Ainda te surpreendes!
PS: Não usar fotos sem permissão (enviar e-mail)
(English/Inglês)
Without expectations, pre conceived ideas and with curiosity I went to Cinema Batalha (Porto) to a concertos@optimus namely to the Roberta Sá’s concert, unknown for some (me included), as MPB (Brazilian Popular Music) sometimes leaves much to be desired. Surprisingly, one can confirm Que Belo Estranho Dia Para Se Ter Alegria  (What a Beautiful & Strange Day To Be Happy), as Roberta is one of the best newcomers from Brazil, as those irritating sing-a-longs weren’t present, but what the audience sees and listens to is a beautiful and enchanting voice that can transform us and make us feel the well accomplished songs, with various influences and full of interesting details, although she does not communicate a lot with the spectators. Therefore one was in front a stage that stroke with wonder those who decided to show up, but even the high level of the songs and the sweet girly looks of Roberta did not  cheer up the audience (perhaps sitting in a concert did not help).
Presenting songs from her two albums (Braseiro (Fire-Pan) and Que Belo Estranho Dia Para Se Ter Alegria (What a Beautiful & Strange Day to Be Happy)), the Cinema Batalha was filled with smiles, applauses, slow movements that followed perfectly each beat, each sound that came from the little guitar, each sad and happy word that composed the lyrics and, above all, that matched with the dress full of birds and flowers that chased Roberta’s arms. For those reasons one can highlight Fogo e Gasolina (Fire & Gasoline), a play with antonyms about a hot passion, Belo Estranho Dia de Manhã (Beautiful & Strange Morning), where a chaotic world is perfect for two lovers to be together (where the album title comes from), Laranjeira (Orange-Tree) and Samba de Amor e Ódio (Samba of Love & Hate) that asked to dance like Suba did with Samba de Gringo Paulista.
Consequently, even with some technical problems that came up at the end one could not stop but continue to listen and observe attentively the girl that could have come out of the farm Sítio do Pica-Pau Amarelo (Brazilian soap) and had a remarkable concert in the month of the pouring-rains.
Advice: If you earn a ticket and you don’t know if you should go or not, go! You may have a few surprises!
PS: Do not use images without permission (send an e-mail)

Samba de Amor e Ódio

Autoria e outros dados (tags, etc)

Kosheen causes Damages!

by perplex3r, em 24.03.08

  

(Português/Portuguese)
Kosheen continuam a surpreender no mundo da electrónica, mesmo depois do estrondoso e difícil de igual hit remisturado por John Creamer e Stephanie K que provocou orgasmos psicológicos a todos os amantes da música electrónica. Exactamente, nada mais nada menos que Hide U (2001) (2ºvídeo) , que perdurou durante muito tempo nos leitores de cd um pouco por todo o mundo. Depois de Resist, o primeiro álbum seguiu-se Kokopelli que, embora menos conhecido ao nível de singles, em que se destaca All In My Head, conseguiu a proeza de se posicionar no nº6 no UK Álbum Charts. A isso deveu-se ao facto de que, ao contrário do que se podia encontrar em Resist, em Kokopelli era possível encontrar letras mais profundas e ritmos mais rock do que o drum’n’bass que perdurava no primeiro álbum.
Agora, com uma tour pela Europa, os Kosheen andam a apresentar Damage (2007) do qual saíram dois singles que conseguiram fundir os ritmos de Resist e a profundidade das letras de Kokopelli, nomeadamente Overkill (1ºvídeo) e Guilty. Desta forma, temos um 2 em 1, em que sentimos os sintetizadores e as letras na voz de Sian. É por isso que a crítica tem sido unânime ao admitir que este é um álbum muito interessante, bem conseguido e soberbo. Contudo, nem tudo são boas notícias, uma vez que não está agendado nenhum concerto em terras lusas, mas se viajarem pela Europa este Verão será possível ir ouvir a grande voz de Sian Evans enquanto bebem uma vodka bem gelada.
Em conclusão, se procurarem o significado no dicionário de Overkill encontram o seguinte:
Overkill: excessivo uso de, cujo impacto ou efeito é reduzido. Mas não é isso que vão sentir,pois irão estar completamente rendidos a esta nova sonoridade (r)evolucionária de Kosheen!
 
 
(English/Inglês)
Kosheen continue to surprise the electronic world after their astonishing and difficult to compare hit remixed by John Creamer and Stephanie K that caused psychological orgasms to all electronic music lovers, that is, of course,  Hide U (2001) (2sd video) that lasted for a very long time in all cd players all around the world. The first album Resist was followed by Kokopelli and, even though it got to number 6 in the UK Album Chart, it had less well-known singles, but we can point out the great single All in My Head. That happened due to the fact that in opposition to the first album, in Kokopelli one find more rock influences rather than the drum’n’bass beats present in Resist  more well writen lyrics. 
Now, in a European Tour, Kosheen are presenting Damage (2007), from which two singles were released, namely Overkill (1st video) and Guilty. In that way, we have 2 things in 1, as we feel the synthesizers together with great lyrics in Sian’s voice.  Those are the reasons why the critics are unanimous in saying that this is an interesting, well accomplished and superb album. However, those are only the good news, as they don’t have any concert planned in Portugal, but if you travel in Europe this summer you might be able to listen to the great voice of Sian, while you drink cold vodka.
In conclusion, if you look for the meaning of Overkill in the dictionary you will find:
Overkill: excessive use of, so that its impact or effect is reduced. But that’s what you will not feel while you listen to Kosheen’s (r)evolutionary sound.

Autoria e outros dados (tags, etc)

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!



@bout me

foto do autor


back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!


Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17