Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



love and OTHER GIRL(s)

by perplex3r, em 03.05.17

Português / Portuguese
Quando contamos os dias, as horas, as semanas e juntámos tudo e obtemos anos e anos de relações, sabemos que nem todas dão certo. Algumas são apenas pequenos parágrafos de páginas escritas à mão, outras transformam-se em pequenos folhetos de jornal e, para o melhor ou para o pior, algumas são mesmos livros com páginas e páginas de acontecimentos, repletos de lágrimas, de abraços, partilhas e algum egoísmo. Nada é fácil quando acaba, mas essa experiência pode muito bem ser enriquecedora, construir uma nova personalidade e obter o melhor que o outro nos ofereceu mas, acima de tudo, crescer sem nunca deixarmos de sermos nós próprios.
Other Girl de Morgan Page com Rayla retrata o final de uma relação, em que não se é capaz de apostar na sinceridade, de chegarmos ao momento de dizermos "Já não gosto de ti" e não porque não conseguimos (apenas) por cobardia, mas porque, secretamente, escrevemos umas linhas de histórias com outra pessoa. Descobrir isso, dessa forma, leva a frases como "não és quem eu pensava", e talvez não fosse mesmo, já que o outro tem, desde o dia um, ser ele próprio e nós nunca devemos (embora seja difícil) criar imagens ao nosso gosto. No final das contas, a fase de construir castelos e de príncipes e princesas já deveria ter terminado há muito.
Assim, mais até do que triste, Other Girl torna-se uma experiência positiva,uma break up song em que nos faz abrir os olhos, libertar de tudo o que não seja positivo e viver a vida com um alegre sorriso invejável. Tu não és mais nem menos que a outra rapariga, és apenas tu e, simplesmente, não irias a lado nenhum se continuasses nessa histórica, tornavas-te numa personagem de uma telenovela, sempre às voltas. Por isso, o melhor é mesmo apostar em ouvir em versão extended do tema, usufruir dos vocais da bela Rayla e a produção deste produtor que já ganhou dois grammies e já remisturou Katy Perry e The Temper Trap, por exemplo.

English/Inglês
When we count the days, the hours, the weeks and gather everything and we get years and the years of relationships. Some are just small paragraphs of handwritten pages, others turn into little newspaper pamphlets, and for better or for worse, some are books with pages and pages of events, full of tears, of hugs, some selfishness. Nothing is easy when it is over, but this experience may well be enriching, building a new personality and getting the best the other has offered us, but above all, growing up without ever ceasing to be ourselves.
Other Girl by Morgan Page with Rayla portrays the end of a relationship, in which one is not able to bet on sincerity, to come to the moment of saying "I do not love you anymore" and not because we can not say (just) due to cowardice, but because, secretly, we have started writing lines of stories with another person. To discover this, in this way, we come up with sentences like "you are not what I thought you were", and maybe he/she wasn’t, since the other has to be himself, since day one, and we should not (even though it is difficult) imagine things as we want them to be. In the end, the time building castles and princes and princesses should already be gone.
So, more than being a sad song, Other Girl becomes a positive experience, a breakup song which opens our eyes, free us from everything that is not positive and makes us live a life with a cheerful smile. You are not more or less than the other girl, you are just you and, simply, you wouldn’t go anywhere if you would continue to be in this story, you would become a character on a long soap opera.  Therefore it is the best to love the extended version of the song, enjoy the vocals of the beautiful Rayla and the production of this producer who has already won two grammies and has already remixed Katy Perry and The Temper Trap, for example.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

friday ... BELIEVE you're gonna be mine!

by perplex3r, em 28.04.17

Why waste your time, you know you're gonna be mine

Português / Portuguese
Sexta-feira! Após aquele jantar a dois, em que o vinho tinto escolhido faz brilhar os teus olhos verdes, seguimos pela rua à procura de um espaço onde o nosso roleplay vai começar. Aproximo-me do bar e vejo que já começas a mexer o teu corpo no meio da pista, enquanto esperas que te traga um novo martini bem cheio. Trocamos olhares por entre a multidão, eu cheio de orgulho e desejo por estar contigo e tu, simplesmente, finges que não me conheces, que não te importas. Estamos a perder tempo com tudo isto, mas ambos sabemos onde queremos chegar dentro de umas horas, logo após te conquistar, ir ao teu encontro, simular ciúmes, morder a tua orelha e sussurrar-te o quanto te quero. 

Será num cenário de conquista como este que Believe se enquandra plenamente. É um single que resulta da colaboração entre Crystal Waters, Sted-E e Hybrid Heights e traz a 2017 uma sonoridade que junta I’m Gonna Get You (1993) de Bizzarre Inc e Love’s Gonna Get You (1985) de Jocelyn Brown com batidas sincopadas, rápidas e frescas. Para tornar o tema adequado a qualquer altura da noite e em qualquer club, existe um generoso número de remisturas, entre as quais Summa Swag de Stonebridge adicionadas a Paige, Tony Moran, Bissen e Kilø Shuhaibar num total de 10 versões possíveis.
O single chegou ao número 1 na US Club Songs Chart e, tal como ele, também tu podes alcançar o patamar máximo da tua conquista.Todos nós temos planos para a nossa vida e encontrar quem nos vai acordar todos os dias com um sorriso, trazer torradas para a cama, espalhar migalhas nos lençóis, tomar banho a dois debaixo do mesmo chuveiro e partilhar passeios e aventuras é um deles. Se ela/ele ainda não sabe e está entretido em joguinhos diz-lhe, com toda a convicção: Why Waste your Time, You Know Your Gonna Be Mine! Acredita (Believe) e assim será!

Bom fim de semana!

 

English / Inglês
Friday! After that dinner for two, when the red wine chosen makes your green eyes shine, we follow the street looking for a place where our role-play begins. I approach the bar and I see that you start to move your body in the middle of the dancefloor, while you wait for me to bring you a full glass of martini. We exchanged glances through the crowd, I am filled with pride and desire to be with you and you simply pretend that you do not know me, that you do not care. We're wasting time on all this, but we both know where we want to go in a few hours, right after conquering you, come to you, simulate jealousy, bite your ear and whisper to you how much I want you.
It will be in a scenario of conquest like this that Believe fully fits. It is a single that results from the collaboration between Crystal Waters, Sted-E and Hybrid Heights and brings to 2017 a sound that combines I'm Gonna Get You (1993) from Bizarre Inc and Love's Gonna Get You (1985) from Jocelyn Brown with syncopated, fast and fresh beats. To make the track suitable for any time of night and in any club, there is a generous number of remixes, including Summa Swag from Stonebridge added to Paige, Tony Moran, Bissen and Kilø Shuhaibar in a total of 10 possible versions.
The single reached  number 1 on the US Club Songs Chart and, like it, you can also reach the maximum level of your conquest. We all have plans for our life and find who will wake us every day with a smile, bring toasts to bed, spread crumbs on the sheets, have a shower together under the same shower and share rides and adventures is one of them. If  he/she still does not know and is entertained in games, tell him/her him, with all the conviction: Why Waste Your Time, You Know Your Gonna Be Mine! Believe and he/she will be!
Have a nice weekend!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Source: discogs.com

Português/Portuguese
Depois de noites bem longas com os amigos, existe sempre esta questão para o dia seguinte: Where were you when the lights went out? (Onde é que estavas quando as luzes se apagaram?). Claro que se seguem respostas sérias ou aquelas bem estranhas como atrás da cortina da discoteca, a rastejar no meio da pista, a beijar alguém (que não me lembro) ou a beber shots no balcão ....mas afinal onde estavas tu quando as luzes da pista se apagaram em 2003?
Freaks, oriundos do Reino Unido, editaram um dos mais conhecidos tech house anthems de sempre, que não paravam de tocar nas rádios (como na nortenha Nova Era) e mais do que ser um hino na voz de Stella Attar para terminar a noite, era quase como um hino de abertura para qualquer pista, principalmente o hipótnico dub de Tiefschwarz. Tal como The Creeps (nº9 na UK Charts), foi retirado do álbum The Man Who Lived Underground, um CD que explora o house e tech house, e foi reeditado uns anos depois, em 2011 (video), com remisturas que abraçaram também o dubstep.
É por isso que hoje podes ser tu aquele amigo que desaparece no meio da noite, entre strobs e serpentinas que caiem da bola de cristal para teres uma história curiosa para contar ... ou então, manter em segredo!

English/Inglês
After long night outs with friends, there is always this question for the next day: Where were you when the lights went out? Of course there are serious responses or strange ones like behind the curtain of the disco, crawling in the middle of the dance floor, kissing someone (who I do not remember) or drinking shots on the counter.... but after all where were you when the lights went out in 2003?
Freaks are from the UK and  released one of the best-known tech house anthems ever, that wouldn’t stop being played  on the radios (as in Nova Era – Portuguese Radio) and more than being an anthem with Stella Attar's voice to end of the night, it was almost like an opening hymn to any dancefloor, especially the hypnotic Tiefschwarz’s dub. Like The Creeps (# 9 on UK Charts), it was taken from the album The Man Who Lived Underground, a CD that explores house and tech house, and was reissued a few years later in 2011 (video), with remixes that also embraced dubstep.
That's why today you can be that friend who disappears in the middle of the night, between strob lights and streamers that fall from the crystal ball to have a curious story to tell ... or else, keep it a secret!

Autoria e outros dados (tags, etc)

BEACHBALL ... yeah! let's go to da beach!

by perplex3r, em 24.04.17

Source: dance-charts.de

Português / Portuguese
Que a temperatura tem subido nos últimos dias, que já existem toalhas na areia e paira aroma a protector solar no ar, já todos sabíamos ... mas a este travo de verão estava a faltar a faixa que abrisse esta época de balnear num mês inimaginável. É por isso que Nalin & Kane trouxe Beachball  para nos dizer que não somos loucos em mergulhar nas águas frias das praias do norte, porque o verão veio mais cedo!
Nalin and Kane são uma dupla de produtores alemães composta por Andry Nalin e Harry Kane que em 1997 chegou ao número 1 com este single, provocou um buzz na música electrónica, seguidamente, remisturou clássicos como Meet Her At The Love de Da Hool e Cafe Del Mar de Energy 52. Será, então, quase como uma edição de aniversário que a remistura de Sebastian Schilde nos traz em 2017, mantendo o feeling e os vocais originais da primeira edição. Para alguns, poderá não conduzir a grandes festas na praia, mas sem dúvida que estes 124Bpm irão fazer-te agarrar umas cervejas, dois ou três amigos e permitir-te desfrutar de todo aquele pôr-do-sol de um dia bem quente. De momento, esperam-se ainda mais algumas remisturas mas para já, editadas pela Kontor Records, existem apenas a versão radio e extended que irão dar outro ânimo à tua segunda-feira.
Em suma, já podes começar a desempacotar as tuas havaianas, tirar os calções de banho e as bolas de praia .... e já que amanhã é feriado, que tal Beachballin' com os amigos? Aproveita!


English / Inglês
The temperature has risen over the last few days, there are already towels on the sand and a scent of sunscreen floats in the air air, but that everyone already knew ... but to this taste of summer a track that would open the summer season in a unimaginable month was missing. That's why Nalin & Kane brought Beachball to tell us that we are not crazy to dive into the cold waters of the northern beaches because the summer came earlier.
Nalin & Kane are a duo of German producers composed by Andry Nalin and Harry Kane who in 1997 reached number 1 with this single, provoked a buzz in electronic music, then remixed classics like Da Hool's Meet Her At The Love and Cafe Del Mar De from Energy 52. It will be, then, almost a birthday edition that the remixes by Sebastian Schilde brings to us in 2017, retaining the feeling and the original vocals of the first edition. For some, it will not bring big parties on the beach, but no doubt that124Bpm will make you grab a few beers, two or three friends and allow yourself to enjoy the sunset on a hot day. For now, we are expecting some remixes but, released by Kontor Records, there is only the radio and the extended versions that will cheer up your Monday.
In short, start unpacking like your flip-flops take off your swimming trunks and beachballs .... and since tomorrow is a holiday, how about Beachballin' with friends? Enjoy!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lott of luv ... BABY!

by perplex3r, em 19.04.17

Source: digitalspy.com

Português / Portuguese
Neste dia bem quente, nada melhor que um refresco musical pela voz de Pixie Lott. A cantora britânica volta este ano, com Anton Powers,com um som mais propício aos fins de tarde com muito sol, Somersby q.b., muitos sorrisos e histórias divertidas. As melodias pop da cantora, que iniciou logo com um número um, o divertido Mama Do (2009), estão lá atrás no tempo. Após as suas viagens musicais por três álbuns, com Baby, ainda sem remisturas extra (apenas uma versão acústica), sentimos aquele feeling de verão, bem up-to-date, despretensioso e fresco. Anton Powers também não é um novato nestas andanças. O Dj e produtor viu Alone No More com Phillip George chegar a nº1, já remisturou Ellie Goulding, Olly Murs e Lady Gaga e actuou no Creamfields e Tomorrowland.
If you Love Me, Show Me inicia esta narrativa, uma vez que Pixie sabe que todas as histórias, páginas ou até mesmo capítulos de amor estão repletas de metáforas, hipérboles e diminutivos. Sinceros, ou não, não deixam de ser palavras e, todos sabemos, "palavras leva-as o vento". Mas não existe, ao mesmo tempo, tantas coisas às quais não damos o devido valor que são o complemento dessas palavras, mas que já as tomamos como garantidas? Quando alguém corre para o metro após um dia de trabalho só para te ver, passa horas intermináveis no trânsito para irem jantar juntos, partilha os últimos dez euros que tem na carteira para ir comer pizza contigo e, mais que isso, te faz feliz só porque tu provocas um brilho nos seus olhos? Talvez, esta, seja uma leitura demasiado profunda de uma canção de batidas dançáveis demasiado alegres.
Assim,no mundo,nem tudo é mensurável ou eterno, mas esta canção veio, quanto mais não seja, alegrar uma quarta-feira de primavera, em que estamos a precisar de outra Somersby bem fresca ... porque companhia, essa, já a temos e não há palavras que a descrevam!

 

English / Inglês
On this hot day, there's nothing better than a musical refreshment from Pixie Lott's voice. The British singer returns this year, with Anton Powers, with a proper sound for  late sunny afternoons, lots of Somersby many smiles and fun stories. The pop melodies of the singer, who started right with a number one, the entertaining Mama Do (2009), are way in the past. After her musical trips through three albums, with Baby, still without extra remixes (only an acoustic version), we have that summer feeling, up-to-date, unpretentious and fresh. Anton Powers is not a newcomer either. The DJ and producer saw Alone No More with Phillip George reach #1, has already remixed Ellie Goulding, Olly Murs and Lady Gaga and performed at Creamfields and Tomorrowland.
If You Love Me, Show Me begins this narrative, since Pixie knows that all stories, pages or even chapters of love are full of metaphors, hyperboles, and diminutives. Sincerely, or not, they are nothing more than words and, we all know, "words are but wind". But at the same time aren´t there so many things to which we do not value and are the complements of these words, but we take them for granted?  When someone rushes to the subway after a day of work just to see you, spends endless hours in the traffic to go to dinner together, shares the last ten pounds on the wallet wallet to eat pizza with you and, more than that, makes you happy just because you see his/her eyes sparkling every time he/she sees you? Perhaps this is a very deep reading of a song with joyful and danceable beats.
Therefore, in the world, not everything is measurable or eternal, but this song came, if not, to make us happy a spring wednesday, when we are in need of another fresh Somersby ... because company we already have it and there are no words to describe it!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

note

(Português)
Devido à nova imagem do blog, todos os posts anteriores a 2017 podem surgir com formatação diferente. Um novo ano, uma nova vida, nova música, nova imagem!

(English)
Due to the new image, all posts prior to 2017 may come up with a different format. A new year, a new life, new music and new image!




back to music & Spotify

Subscreve/Subscribe Playlist

Back to Music,Love & Lifestyle on Spotify!


Passatempo


back to music & the web


Thank You's

 

Sapo Destaques - 27.04.17

Sapo Destaques - 16.04.17

 

 





back to music & love

Follow

subscrever feeds